Mundo (418)

De acordo com autoridades do país, incidente ocorreu depois que centenas de pessoas invadiram o local para transportar combustível que vazava

Pelo menos 29 pessoas morreram e 61 ficaram feridas na explosão de um oleoduto da empresa estatal Petróleos Mexicanos (Pemex), em Tlahuelilpan, no México, nesta sexta-feira (18).

De acordo com as autoridades do país, o oleoduto explodiu depois que um grupo de cerca de 200 pessoas invadiu o local para transportar, em baldes e vasilhas, combustível que vazava.

"Comunicaram este trágico acidente, onde há muitas pessoas queimadas, que estavam no local tentando coletar combustível que escapou por um vazamento", explicou o governador Omar Fayad, em entrevista aos canais de televisão "Milenio" e "Foro TV".

Já o prefeito da cidade, Juan Pedro Cruz, contou que, durante o vazamento, militares do Exército foram acionados e tentaram isolar a área, mas não conseguiram.

"Lamento muito a grave situação em Tlahuelilpan devido à explosão de um oleoduto. Estou em Aguascalientes e, desde que o diretor da Pemex e o Secretário de Defesa me informaram, dei instruções para controlar o incêndio e atender as vítimas", escreveu o presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, em mensagem no Twitter

Fonte: Noticias ao minuto

 

A garota de 1 ano e o garoto de 6 anos eram irmãos e a avó deles que cuidava das três crianças.

Três crianças morreram depois de ficarem trancadas acidentalmente dentro de um freezer na Flórida, EUA. Duas garotas e um garoto de 1, 4 e 6 anos estavam brincando quando a mulher, que é avó de duas das crianças, foi ao banheiro, nesta hora as crianças entraram no freezer. A mulher vasculhou o quintal até que encontrou as crianças no freezer já sem respirar. O socorro foi chamado mas nada pôde ser feito.

A garota de 1 ano e o garoto de 6 anos eram irmãos e a avó deles que cuidava das três crianças.

A polícia acredita que as crianças entraram no freezer, a tampa se fechou e como tem uma tranca as crianças não conseguiram sair.

Fonte: Massa News

 

Maduro criticou a política de privatizações anunciada por Bolsonaro ao longo da campanha eleitoral.

A relação já conturbada entre Brasil e Venezuela teve um sinal claro de aumento de tensão após Nicolás Maduro ter chamado, nesta segunda-feira(14), o presidente Jair Bolsonaro de “Hitler dos tempos modernos”. O líder venezuelano criticou ainda as políticas liberais adotadas pelo brasileiro.

“E aí temos o Brasil, nas mãos de um fascista. (…) Bolsonaro é o Hitler dos tempos modernos. Não tem coragem e nem decisões próprias, é um fantoche”, disse Maduro em discurso no plenário da Assembleia Nacional Constituinte.

Maduro criticou a política de privatizações anunciada por Bolsonaro ao longo da campanha eleitoral e indicou que o povo brasileiro deverá se insurgir contra a medida. “O povo brasileiro se encarregará dele. Deixemos o tema Bolsonaro ao formoso povo brasileiro, que lutará e se encarregará dele.”

Fonte: Noticias ao minuto

 

Maduro criticou a política de privatizações anunciada por Bolsonaro ao longo da campanha eleitoral.

A relação já conturbada entre Brasil e Venezuela teve um sinal claro de aumento de tensão após Nicolás Maduro ter chamado, nesta segunda-feira(14), o presidente Jair Bolsonaro de “Hitler dos tempos modernos”. O líder venezuelano criticou ainda as políticas liberais adotadas pelo brasileiro.

“E aí temos o Brasil, nas mãos de um fascista. (…) Bolsonaro é o Hitler dos tempos modernos. Não tem coragem e nem decisões próprias, é um fantoche”, disse Maduro em discurso no plenário da Assembleia Nacional Constituinte.

Maduro criticou a política de privatizações anunciada por Bolsonaro ao longo da campanha eleitoral e indicou que o povo brasileiro deverá se insurgir contra a medida. “O povo brasileiro se encarregará dele. Deixemos o tema Bolsonaro ao formoso povo brasileiro, que lutará e se encarregará dele.”

Fonte: Noticias ao minuto

 

Uma cientista foi morta e teve partes do corpo comidas por um crocodilo quando tentava alimentá-lo com pedaços de carne na última sexta-feira (11).

Deasy Tuwo, de 44 anos, estava alimentando Merry, um crocodilo de 5 metros de comprimento, por cima de uma parede de concreto em um centro de pesquisas de Sulawesi do Norte (Indonésia), quando o animal se lançou contra a cientista e conseguiu puxá-la para dentro do cercado.

Colegas da cientista notaram pouco depois que Merry apresentava uma silhueta incomum, contou reportagem do "Sun". Ao investigar, eles notaram que o crocodilo tinha partes do corpo de Deasy na boca.

Uma equipe do Corpo de Bombeiros foi ao local para recuperar o cadáver mutilado de Deasy. Acredita-se que Merry não tenha comido todo o corpo porque já estava com o estômago cheio - antes, havia devorado um crocodilo menor.

Merry só foi capturado nesta segunda-feira. Ele será enviado a um laboratório para a realização de testes.

Fonte: Extra

 

Ele irá para Oristano, e não para Rebibbia, como havia sido anunciado anteriormente

O ministro da Justiça da Itália, Alfonso Bonafede, anunciou que Cesare Battisti não ficará preso no centro de detenção de Rebibbia, como havia sido informado anteriormente. Por questões de segurança, Battisti será enviado para Oristano, na Sardenha.



A informação foi dada durante uma coletiva de imprensa nesta tarde (14), horas após Battisti chegar à Itália em um voo proveniente de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, onde foi detido na noite de sábado (12).

O avião Falcon 900 do governo italiano pousou no Aeroporto de Ciampino, em Roma, às 11h40 locais (8h40 de Brasília) com Battisti. Ao desembarcar, Battisti foi levado a uma delegacia na rua Patini, na capital, para cadastro fotográfico.

A primeira informação apontava que Battisti seria, então, enviado para o centro de detenção de Rebibbia, que fica perto de Roma.

"Queria ressaltar que garantimos o percurso mais veloz e seguro para que Battisti chegasse à Itália. Conversei com o presidente do Brasil e agradeço pela mudança de rota que foi determinante.

Leia também:

Por que Battisti não passou pelo Brasil antes da extradição?

Battisti ficará sozinho em cela, com isolamento por 6 meses

'A mamata acabou', diz Salvini sobre Battisti

Obrigado também ao governo boliviano pela colaboração", afirmou, por sua vez o primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte.

Conte, Bonafede e o ministro do Interior, Matteo Salvini, deram uma coletiva de imprensa conjunta no Palácio Chigi, em Roma, sobre a prisão de Battisti.

Salvini, por sua vez, disse que as autoridades italianas "estão trabalhando em outra dezena" de casos de "terroristas" que precisam ser extraditados. "Mas não vou entrar no mérito do nome deles nem do local onde estão". O ministro já vinha dizendo que pretende iniciar uma caça a outros condenados italianos que vivem no exterior. "A prisão de Cesare Battisti não é um ponto final, mas um começo", comentou.

"Tenho certeza de que as forças de ordem, com os serviços de inteligência, levarão à prisão outras dezenas de delinquentes e assassinos que estão viajando pelo mundo e aproveitando a vida", disse Salvini. (ANSA)

Fonte: Noticias ao minuto

 

A informação sobre a sua detenção foi divulgada pela sua esposa e por vários parlamentares da oposição neste domingo.

O oposicionista do governo de Nicolás Maduro e presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, Juan Guaidó, foi preso por agentes do serviço de inteligência venezuelana neste domingo (13). De acordo com parlamentares do seu partido, ele foi libertado logo em seguida. 

A informação sobre a sua detenção foi divulgada pela sua esposa e por vários parlamentares da oposição neste domingo, segundo informaram as agências Reuters e France Presse.

Deputados e líderes do Volant Popular (VP), partido em que Guaidó atua, informaram a agência Efe que o político enviou uma mensagem minutos depois de ser libertado às pessoas que esperavam por ele em Vargas, onde faria um comício, para que não saíssem do local.

A conta do Twitter da Assembleia Nacional, publicou um vídeo em que mostra a ação na rodovia onde Guaidó havia sido detido.

Asamblea Nacional
@AsambleaVE
 
 

Funcionarios del Sebin interceptaron y se llevaron, hasta ahora sin rumbo conocido , al Presidente de la Asamblea Nacional, Dip. @jguaido . El hecho ocurrió bajando a la Guaira, a la altura de El Limón.

 
1.597 pessoas estão falando sobre isso
 

Na última sexta-feira(11), Guaidó disse dirante um discurso em Caracas que estava disposto a assumir a presidência da Venezuela após a oposição do país ter declarado que o segundo mandato do presidente Nicolás Maduro é ilegítimo.

"A Constituição me dá legitimidade para exercer o cargo da Presidência da República, para convocar eleições, mas preciso do apoio dos cidadãos para tornar isso uma realidade", disse o deputado.

Fonte: Noticias ao minuto

 

Ele estava escondido na cidade de Santa Cruz de la Sierra

O italiano Cesare Battisti, foragido desde dezembro passado, foi preso no fim da tarde deste sábado (12) em Santa Cruz de la Sierra, cidade mais populosa da Bolívia.

A captura foi confirmada pelo assessor especial do presidente Jair Bolsonaro para Assuntos Internacionais, Filipe Martins, em seu perfil no Twitter.

"O terrorista italiano Cesare Battisti foi preso na Bolívia esta noite e em breve será trazido para o Brasil, de onde será levado até a Itália para que ele possa cumprir pena perpétua, de acordo com decisão da Justiça italiana", disse Martins.

Já o embaixador da Itália no Brasil, Antonio Bernardini, escreveu "Battisti preso" no Twitter. Segundo o jornal Corriere della Sera, o foragido foi detido por volta de 17h (horário local), por uma equipe da Interpol formada por investigadores italianos.

Ele não opôs resistência e usava calças e camiseta azuis, óculos de sol e uma barba falsa. Battisti foi levado para uma delegacia, e a Bolívia ainda não anunciou se o entregará ao Brasil ou à Itália.

Ainda de acordo com o Corriere, a Interpol já suspeitava que o italiano estivesse escondido em Santa Cruz de la Sierra desde antes do Natal. O jornal diz que Battisti tinha o andar "cambaleante".

Em outubro de 2017, ele havia sido preso perto de Corumbá (MS), tentando entrar na Bolívia com o equivalente a mais de R$ 20 mil em moeda estrangeira. Battisti alegou na época que queria apenas comprar material de pesca e roupas de couro, mas acabou virando réu por evasão de divisas.

Histórico

Ex-membro da milícia de extrema esquerda Proletários Armados pelo Comunismo (PAC), o italiano foi condenado em contumácia em seu país à prisão perpétua por quatro assassinatos e envolvimento com o terrorismo na década de 1970.

Como foragido, Battisti passou por França e México, antes de chegar ao Brasil, onde quase foi extraditado por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). No entanto um decreto assinado por Luiz Inácio Lula da Silva no último dia de seu segundo mandato como presidente deu ao italiano a permissão para ficar no país.

Com o impeachment de Dilma Rousseff, a Itália apresentou um novo pedido de extradição e encontrou o parecer favorável de Michel Temer, mas uma liminar do ministro do STF Luiz Fux impediu que ele fosse entregue ao país europeu.

Em dezembro passado, contudo, o mesmo Fux derrubou a liminar e decidiu que Temer tinha poder para reverter o asilo concedido por Lula. Na sequência, o então presidente assinou o decreto de extradição, porém Battisti conseguiu escapar das autoridades brasileiras, fugindo até Santa Cruz de la Sierra, onde foi capturado. (ANSA).

Fonte: Noticias ao minuto

 

Ele conta com o respaldo das Forças Armadas e da Suprema Corte

Sob críticas e suspeitas internacionais, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, toma posse hoje (10) do seu segundo mandato que irá até 2025. Ele conta com o respaldo das Forças Armadas e da Suprema Corte. Porém, sofre resistência interna da Assembleia Nacional que é comandada pela oposição.

O Brasil, que integra o Grupo de Lima (formado por Argentina, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Guiana, Honduras, Panamá, Paraguai, Peru e Santa Lucia e México), considera a reeleição de Maduro ilegítima.

Para o grupo, com exceção do México, o poder deveria ser transmitido para o Parlamento venezuelano que, por sua vez, promoveria novas eleições. O processo eleitoral que levou à reeleição de Maduro contou com quase 70% de abstenção.

A crise na Venezuela se agravou nos últimos anos, provocando uma forte imigração, fome e desemprego na região. Para o público interno, Maduro afirmou que apresentará um conjunto de ações econômicas para frear a hiperinflação que atinge o país.

“Vou apresentar o Plano da Pátria diante da Assembleia Nacional Constituinte para o próximo período de seis anos. Vou fazer uma avaliação e apresentar um conjunto de medidas”, afirmou Maduro, acrescentando que sua meta é a estabilidade econômica para o período de 2019-2025.

Esta semana o Peru informou que proibirá a entrada do presidente da Venezuela e integrantes do governo, assim como suas famílias, no território peruano.

*Com informações da AVN, agência estatal de notícias da Venezuela.

Fonte: Noticias ao Minuto

 

Presidente rejeita qualquer proposta que não contemple recursos para muro na fronteira

O presidente americano, Donald Trump, afirmou nesta sexta-feira (4) que a paralisação parcial que afeta o governo federal pode durar anos, em forte sinalização de que, quase duas semanas depois do início do apagão, democratas e republicanos seguem longe de um acordo sobre o financiamento do muro na fronteira com o México.

Trump falou após uma reunião com lideranças democratas para tentar resolver o impasse em torno do dinheiro para a obra. O presidente rejeita ratificar qualquer proposta para reabrir o governo que não contemple recursos para o muro.

Ao ser questionado sobre uma informação dada por Chuck Schumer, líder da minoria democrata no Senado, de que havia dito que a paralisação poderia durar meses ou anos, Trump respondeu que sim.

"Eu não acho que vai, mas acho que posso falar por republicanos no Senado e republicanos na Câmara - eles querem muito ter um país seguro, ter uma fronteira que faça sentido... Eu espero que não continue por mais que alguns dias", afirmou. "Acho que poderia abrir rapidamente."

O republicano, porém, rejeitou reabrir o governo enquanto o financiamento ao muro não for definido.

"Nós não vamos abrir enquanto não for resolvido. Nós achamos que é um problema muito maior", disse o presidente. "Nossa fronteira é um problema muito mais perigoso. É um problema de segurança nacional. É um problema de terrorismo."

Segundo o presidente, muitos dos que entram pelo México são traficantes e membros de gangues, mas complementou que há "terroristas entrando pela fronteira sul porque eles acham que provavelmente é o caminho mais fácil para entrar."

Trump também não descartou declarar uma emergência nacional para construir o muro sem a necessidade de aprovação do Congresso e dos recursos.

"Sim, eu tenho [poderes emergenciais]. E eu posso fazer isso, se quiser", afirmou. "Nós podemos convocar uma emergência nacional. Nós não fizemos isso ainda. Eu posso fazer. Nós declaramos uma emergência nacional e construímos [o muro] rapidamente. É uma outra forma de fazer isso."

Por causa da paralisação parcial, 800 mil funcionários do governo estão sem receber pagamento. Parques nacionais estão fechados e muitos serviços estão sob ameaça de interrupção, como a restituição de Imposto de Renda. Com informações da Folhapress.

Fonte: Noticias ao minuto

 

Pagina 1 de 30

Salvar

 

Template Settings

Theme Colors

Blue Red Green Oranges Pink

Layout

Wide Boxed Framed Rounded
Patterns for Layour: Boxed, Framed, Rounded
Top