×

Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 630

Economia (292)

O Governo do Estado vai depositar os salários dos cerca de 70 mil servidores nesta sexta-feira (28), os valores estarão disponíveis para saque amanhã (29). De acordo com a administração estadual, serão injetados R$ 450 milhões na economia do Estado.

A antecipação do salário, que normalmente seria pago na terça-feira (2), ocorre para "prestigiar” o Dia do Trabalhador, comemorado na segunda. O abono salarial que foi prorrogado até março de 2018 depois da aprovação do projeto do Governo também será depositado normalmente na remuneração dos servidores.

Em nota, o Governo informou que Mato Grosso do Sul integra grupo dos nove estados que não atrasaram salários nos últimos meses.

MIDIA MAX

Os novos valores começam a ser aplicados a partir desta sexta-feira, 21.

A Petrobras anunciou nesta quinta-feira, 20, um aumento do preço do diesel nas refinarias em 4,3%, em média, e da gasolina em 2,2% em média. Os novos valores começam a ser aplicados a partir desta sexta-feira, 21.

Segundo a estatal, a decisão, do Grupo Executivo de Mercado e Preços (GEMP), segue a política de preços anunciada em outubro de 2016. A Petrobras reafirma sua política de revisão de preços pelos menos uma vez a cada 30 dias.

"A decisão é explicada principalmente pela elevação dos preços dos derivados nos mercados internacionais desde a última decisão de preço, que mais que compensou a valorização do real frente ao dólar, e por ajustes na competitividade da Petrobras no mercado interno", informa a empresa.

A estatal destaca também que o comportamento dos preços de derivados foi marcado por volatilidade nos mercados internacionais em resposta a evento geopolítico, como o ocorrido na Síria.

"Os novos preços continuam com uma margem positiva em relação à paridade internacional, conforme princípio da política anunciada, e estão alinhados com os objetivos do plano de negócios 2017/2021", destaca a companhia.

A Petrobras lembra que a lei brasileira garante liberdade de preços no mercado de combustíveis e derivados e que as revisões feitas pela empresa nas refinarias podem ou não se refletir no preço final ao consumidor. Isso dependerá de repasses feitos por outros integrantes da cadeia de combustíveis, especialmente distribuidoras e postos revendedores.

"Se o ajuste feito hoje for integralmente repassado e não houver alterações nas demais parcelas que compõem o preço ao consumidor final, o diesel pode subir 2,9% ou cerca de R$ 0,09 por litro, em média, e a gasolina, 1,2% ou R$ 0,04 por litro, em média", informa.

Angêlica Estado

Mesmo com a intenção do governo de acelerar a tramitação da reforma trabalhista na Câmara dos Deputados, o projeto terá que ser discutido e votado na comissão especial seguindo o rito usual, já que o plenário não aprovou o requerimento de urgência para apreciação da proposta. Eram necessários 257 votos para a aprovação, mas a base aliada só conseguiu mobilizar 230 deputados favoráveis. O pedido teve 163 votos contrários. Com isso, o projeto terá que ser discutido e votado na comissão especial da reforma trabalhista antes de ser levado para apreciação no plenário.

A intenção do governo era pular etapas e colocar o projeto já na próxima semana. Com a rejeição da urgência, alguns prazos terão que ser obedecidos na comissão, entre eles duas sessões para vista do parecer e prazo de cinco sessões para apresentação de emendas, além da discussão e votação no colegiado.

O deputado Alessandro Molon (Rede-RJ) atribuiu o resultado a um movimento de articulação da oposição no plenário. “Começamos a organizar isso aqui nesta manhã, agitamos o plenário, mostramos que não aceitamos a retirada do direito de trabalhadores com uma tentativa de desviar o foco da corrupção. A base do governo ficou nervosa, se desesperou com a iniciativa”, afirmou.

Antes da votação, deputados da oposição chegaram a ocupar a Mesa Diretora dos trabalhos da Casa. Com cartazes na mão, eles criticaram a “pressa” do governo em votar a reforma trabalhista que, segundo a oposição, retira direitos dos trabalhadores. A deputada Luiza Erundina (PSOL-SP) chegou a sentar na cadeira de presidente da Casa. Inicialmente, a inclusão do requerimento deveria ter sido debatida na reunião de líderes, que estava prevista para o início desta tarde, mas foi cancelada pelo presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Deputados da oposição questionaram a inclusão do requerimento na ordem do dia.

Após o resultado da votação, o presidente Rodrigo Maia atribuiu o resultado a um erro seu. “O erro foi meu. Fiz a votação com um quórum baixo, e alguns deputados não votaram.” Maia, no entanto, abriu uma brecha para que novo requerimento de urgência possa ser apresentado por líderes da base governista e votado ainda nesta terça-feira. “Se qualquer líder apresentar um requerimento, ele será colocado sobre a mesa”, apontou.

A afirmação causou indignação na oposição, que acusou Maia de quebrar as regras regimentais. Em seguida, Maia encerrou a sessão e convocou outra para votar o projeto que trata da recuperação fiscal dos estados superendividados.

Fonte: Correio do povo

O Ministério da Saúde decidiu fechar, a partir de maio, as 393 unidades da rede própria do programa Farmácia Popular, de distribuição de medicamentos gratuitos ou com até 90% de desconto. Agora, os produtos serão distribuídos unicamente pela rede de farmácias conveniadas. A preocupação, no entanto, é com pacientes que procuram alguns remédios específicos que não estão disponíveis nos estabelecimentos conveniados.

Na rede própria, são ofertados, hoje, 112 medicamentos; já nas drogarias com desconto são disponibilizados 32. A pasta afirmou que quase 90% das pessoas procuram remédios para hipertensão, diabetes e asma, disponíveis também nas outras farmácias. Ainda de acordo com o ministério, o paciente que precisa tomar remédios indisponíveis na rede particular terá que procurar uma unidade básica de saúde ou clínica da família para “descobrir”, segundo o ministério, onde conseguir o remédio.

O governo federal justifica a desativação da rede própria para geração de economia de aproximadamente R$ 80 milhões. O Ministério da Saúde informou que os recursos economizados serão repassados à compra de medicamentos.

De acordo com a Saúde, o custo administrativo para a manutenção das farmácias da rede própria chegava a 80% do orçamento do programa, que é de R$ 100 milhões por ano, e os outros R$ 18 milhões estavam sendo utilizados na compra e distribuição de medicamentos.

EXTRA

Repasses ao fundo exclusivo para aposentadorias não são feitos desde o ano passado

O Conselho Estadual de Previdência de Mato Grosso do Sul estuda ir à Justiça para cobrar que os poderes depositem no fundo previdenciário os valores descontados dos salários dos servidores que ingressaram no serviço público desde 2012. A inadimplência do tesouro com este fundo, que é chamado de “Massa Segregada” se aproxima dos R$ 30 milhões. Deste total, o valor correspondente aos 11% descontados dos salários dos funcionários públicos é de cerca de R$ 10 milhões. Esta quantia deve ser objeto de ação.

Conforme o fiscal tributário, Francisco Carlos de Assis, presidente do Conselho, desde outubro que os repasses referentes à Massa Segregada de servidores não são feitos pelos poderes Executivo, Judiciário, Legislativo, e pelas autarquias com independência financeira: Ministério Público Estadual, Defensoria Pública e Tribunal de Contas.

A insatisfação do conselho com a inadimplência dos gestores públicos com o fundo criado para pagar a aposentadoria dos servidores que ingressaram após 2012, foi colocada nas atas das mais recentes reuniões da entidade. Na de fevereiro, por exemplo, publicada no Diário Oficial do Estado do dia 10 deste mês, foi relatado: “o presidente propôs ao conselho encaminhar ofício ao diretor-presidente da Ageprev (Agência de Previdência Social de Mato Grosso do Sul), constatando a falta de repasses de verbas referentes à massa segregada, e constar o indicativo de medidas judiciais para que seja cobrado estes valores referentes aos 11% descontados dos servidores. Submetido a votação, foi aprovado por unanimidade”.

Fonte: Correio do Estado

Seguindo o caminho contrário do mercado de trabalho, que tende a preferir cada vez mais profissionais mais jovens, o Reclame Aqui anunciou, na última quinta-feira (24), que está com uma vaga aberta exclusivamente para mulheres que tenham em média 55 anos.

Em publicação feita na página do Facebook, a empresa anuncia que “sua mãe, sua tia, sua vizinha também pode fazer parte do Reclame Aqui, na sede da cidade de São Paulo. Nós estamos atrás de uma profissional, acima de 55 anos, que procura por uma recolocação e que o mercado talvez não esteja dando oportunidades de trabalho no momento”, diz.

Entre os requisitos da vaga, além do perfil da candidata, estão: ter uma boa comunicação, ter Facebook e Twitter e também “gostar de gente”; não é necessário ter ensino superior. O regime de contratação é CLT e tem como benefícios vale-transporte, vale-refeição e planos de saúde e odontológico.

Para se candidatar à vaga é preciso enviar ocurrículos e contar “sua história de vida” para o e-mail da empresa.

INFOMONEY

De janeiro a março deste ano, 794 empresas fecharam as portas no Estado, número recorde para o período em 17 anos, de acordo com a série estatística da Junta Comercial de Mato Grosso do Sul (Jucems).

Somente no comparativo com os primeiros três meses de 2016, quando 649 empreendimentos encerraram as atividades, o aumento foi de 22,3%.

Na passagem de fevereiro para março, o tombo foi de 12,3% — de 267 para 300 extinções de empresas no Estado. Já em relação a março de 2016, quando 250 empreendimentos saíram do mercado, o crescimento de empresas fechadas foi de 20% no mês passado. 

O mesmo cenário foi observado para as filiais, que são acompanhadas para efeito de estatística pela Jucems desde 2005.

Nos três primeiros meses de 2017, 139 empresas deste tipo deixaram de existir em Mato Grosso do Sul, o mais alto índice em 10 anos.

Em relação ao mesmo intervalo do ano passado, quando foram registrados 126 fechamentos, o avanço foi de 10,3%. De fevereiro para março, o número de extinções manteve-se o mesmo (44), mas no comparativo com março do ano passado, os dados da Jucems apontam que aumentou 22,4% o número de encerramentos de atividade (eram 36 no mesmo mês de 2016). 

CORREIO DO ESTADO

Embora a tarifa de energia elétrica dos 993 mil consumidores distribuídos em 73 municípios atendidos pela Energisa-MS tenha reduzido em média 1,92% este mês, em junho ela vai subir.

É que serão aplicados 3,62% de reajuste referente a indenização de R$ 62,2 bilhões que os consumidores vão ter de pagar às empresas transmissoras de energia. O percentual pode ser maior ainda por causa dos impostos.

Este alerta do aumento foi feito por Rosimeire Cecília da Costa, presidente do Concen (Conselho dos Consumidores da Área de Concessão da Energisa MS), após acompanhar a reunião da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

A agência decidiu pela redução, mas apontou que o custo das indenizações às transmissoras vai ter o impacto de 3,62% na tarifa da Energisa-MS a partir de junho.

CORREIO DO ESTADO

A Caixa Econômica Federal inicia amanhã (8) o pagamento de R$ 146.154.251,65 para 138.455 trabalhadores na segunda fase dos saques de contas inativas do FGTS em Mato Grosso do Sul.

Para atender os trabalhadores nascidos nos meses de março, abril e maio a Caixa abrirá 37 agências neste sábado. O horário de funcionamento será das 9h às 15h. 

A segunda etapa de saques vai beneficiar 7,7 milhões de brasileiros, com valor disponível acima de R$ 11,2 bilhões, segundo a Caixa Econômica Federal.

Do total, 30% ou 2,3 milhões, receberão automaticamente o crédito nas contas. As agências terão atendimento exclusivo amanhã para realizar pagamento de contas vinculadas FGTS, solucionar dúvidas, promover acertos de cadastro dos trabalhadores e emitir senha do Cartão Cidadão.

A relação das agências está no site da Caixa. Além disso, está prevista a abertura antecipada (2 horas antes) de todas as agências da CAIXA nos dias 10, 11 e 12 de abril para pagamento exclusivo de contas inativas do FGTS.

Em Dourados estarão abertas as agências das avenidas Joaquim Teixeira Alves e da Weimar Torres.

Os demais 25 municípios com atendimento amanhã são: Amambai, Rio Brilhante, Cassilândia, Miranda, Miranda, Aparecida do Taboado, Bonito, Corumbá, Três Lagoas, Aquidauana, Naviraí, Nova Andradina, Ponta Porã, Coxim, Jardim, Fátima do Sul, Ivinhema, Maracaju, Chapadão do Sul, Bataguassu, São Gabriel do Oeste, Caarapó, Sidrolândia, Mundo Novo, Sonora e Nova Alvorada do Sul.

PAGAMENTO

O pagamento automático em contas só beneficia aqueles que têm conta poupança individual na Caixa Econômica.

Todos os demais precisam procuram pessoalmente as unidades para saque. Tem direito ao recurso aqueles que já trabalharam com carteira assinada até 31 de dezembro de 2015. Para cada emprego há uma conta de FGTS e contas de empregos atuais ou após 2015, não são ativas para este tipo de saque.

A consulta do saldo pode ser feita informando o número do PIS e a senha, no site da Caixa ou pelo telefone 0800 726 0207. A senha pode ser cadastrada na hora, e também é possível saber pelo aplicativo para celular da Caixa.

BALANÇO

Entre os dias 10 e 31 de março, a Caixa registrou o pagamento de R$ 80.343.124,99 para 118.383 trabalhadores sul-mato-grossenses.

No País foram pagos mais de R$ 5,9 bilhões relativos às contas inativas do FGTS. O número de trabalhadores nascidos em janeiro e fevereiro que já sacaram alcançou 3,7 milhões de pessoas.

O valor equivale a 85% do total inicialmente previsto (R$ 6,96 bilhões) e aproximadamente 77% dos trabalhadores (4,8 milhões), nascidos em janeiro e fevereiro, beneficiados pela MP 763. 

 

A Petrobras anunciou nesta quinta-feira (6) a redução média de 4% do GLP (Gás Liquefeito de Petróleo), um dos produtos mais usados no Brasil como fonte de energia, principalmente na produção alimentícia.

Porém, os consumidores residenciais que compram o GLP em botijões de até 13 kg, o popular gás de cozinha, não sentirão diretamente no bolso a redução, já que a redução é apenas para o gás destinado ao comércio e indústria.

A vigência da redução, conforme nota, já começa no próximo sábado (8). A venda a granel às distribuidoras também são alvo da queda do preço. O motivo da mudança do valor e do produto doméstico não seguir a redução não foi divulgado.

O gás de cozinha sofreu um reajuste de 9,8% recentemente, no dia 17 de março, mas com a mudança entrando em vigor no dia 21, depois de quase um ano e meio sem acréscimo ou desconto no preço do produto pela estatal.

Fonte: Campo Grande News

Pagina 19 de 21

Salvar

 

Template Settings

Theme Colors

Blue Red Green Oranges Pink

Layout

Wide Boxed Framed Rounded
Patterns for Layour: Boxed, Framed, Rounded
Top