Geral (363)

Trafegar pelos 66 km da rodovia MS-395, entre Bataguassu e Brasilândia, no Leste de Mato Grosso do Sul, era um teste de resistência e habilidade para os motoristas e um suplício para quem dependia do acesso para estudar em Três Lagoas ou buscar um socorro médico nas cidades próximas. O abandono da estrada esburacada, agora restaurada pelo Governo do Estado, também refletia no custo da diversificada produção da região.

Esposa de um funcionário da fazenda Córrego Azul, em Brasilândia, Carla Santos Faria, 25 anos, cursa Engenharia de Produção em Três Lagoas e perdeu a conta das vezes em que o ônibus de estudantes quebrou no caminho de 100 km e todos perderam a aula ou uma prova inadiável. “Ficar na estrada por causa de um pneu furado ou uma quebra mecânica era nossa rotina, a gente não sabia que horário chegaria na faculdade ou em casa”, diz ela.

A reconstrução da MS-395, após 16 anos de implantação da rodovia, mudou a rotina de Carla e proporcionou mobilidade e segurança para os usuários da via, situada próxima à divisa com São Paulo. Com investimentos de R$ 44,3 milhões, o novo pavimento foi entregue na última segunda-feira (14) pelo governador Reinaldo Azambuja, depois de sucessivos serviços de tapa-buraco, cuja manutenção se tornou incipiente devido ao grau de deterioração da pista.

“A rodovia não foi projetada para receber o intenso tráfego atual de caminhões e exigiu mais do que uma simples restauração, sendo praticamente refeita, com um modelo de engenharia que garante mais durabilidade ao asfalto”, ressaltou o governador. Em sua visita à região, Reinaldo Azambuja entregou também o novo pavimento de 60 km da MS-338, entre Santa Rita do Pardo e o trevo com a MS-395, cujo investimento total somou R$ 88 milhões.

Custo de produção caiu 10%

Com a restauração dos 126 Km das rodovias que interligam Santa Rita do Pardo e Brasilândia, o Governo do Estado beneficia importante corredor de produção de uma região que se torna polo da celulose e expande o agronegócio. As boas condições de tráfego já refletem diretamente no custo de produção. O gerente da fazenda, Gilberto Soares, 36 anos, aponta que o frete no transporte da soja caiu de R$ 40,00 para R$ 33,00 a tonelada.

“A recuperação da estrada trouxe mais segurança aos nossos colaboradores e um novo alento para quem produz e enfrentava problemas de logística”, diz ele, estimando redução de 10% do custo de manutenção da frota e frete de insumos com a obra do Governo do Estado.

O ir e vir das pessoas também incidia nos gastos. A fazenda emprega 94 funcionários residentes em Brasilândia, distante 30 Km, e o tempo de viagem em ônibus fretado era de no mínimo 40 minutos.

Para quem trabalha nas fazendas, mesmo com a curta distância até Brasilândia e Bataguassu trafegar pela MS-395 não era um bom programa, como conta Fagner Farias Alves, 24 anos, um dos 293 funcionários da Córrego Azul. “Ir na cidade com a família era uma aventura, muito estresse, não valia a pena”, recorda-se. “Você tinha que desviar dos troncos de madeira que caiam dos caminhões em ziguezague na pista, e uma vez, chegando a Brasilândia, estourou dois pneus do carro.”

“A estrada ficou um tapete”

O motorista Cícero Alves Cardoso, 52 anos, não disfarça a satisfação de agora trafegar por rodovias de excelente pavimento e sinalizadas. Ele dirige um dos ônibus que transportam diariamente trabalhadores entre Brasilândia e a fazenda – um dos maiores conglomerados do agronegócio no Estado -, e afirma que o tempo de viagem reduziu em menos da metade. “A gente tinha que desviar dos buracos e passava muito apuro, com risco de acidentes”, lembra.

Cícero, responsável pelo transporte dos trabalhadores, elogia a nova estrada: “Está nota dez” - Foto: Edemir Rodrigues

 

Cícero, como os demais usuários da MS-395, dá nota dez à nova rodovia e destaca também a sinalização viária. “Está um tapete”, diz. Agora, a atenção ao volante, segundo ele, é redobrada por causa do aumento do fluxo de veículos. “Até parece que todo mundo resolveu passar por aqui”, comenta. Quanto ao transporte dos trabalhadores acabou o tormento: “As pessoas vêm até dormindo no ônibus sem sacolejar, e muitos perdem o ponto de descida”, brinca.

Na boleia do caminhão onde transporta animais e insumos para as fazendas, o motorista Igor Adalberto Fernandes, 25 anos, também atesta a qualidade do novo asfalto. “Melhorou 100%, estava impraticável passar pela rodovia esburacada”, cita. Entregador de refeições na área rural, Jairo Oliveira, 35 anos, lembra que o desgaste por conta da precariedade da pista reduzia o tempo útil de um carro em dois anos. “Era muito arriscado andar na estrada, agora está excelente”, diz.

Fonte: Jornal da Nova

Projeto conseguiu regenerar células de bovinos, galinhas e patos


Uma empresa liderada pelo cientista Nicholas Genovese e pelo médico Uma Valeti criou dez mil quilogramas de carne a partir de uma única célula retirada do animal. Até agora o projeto Memphis Meat conseguiu regenerar células de bovinos, galinhas e patos.

Os idealizadores afirmam que o objetivo do experimento é não só resolver problemas relacionados à pecuária e impulsionar a indústria de alimentos, como também diminuir as consequências negativas da criação de animais, reduzindo o número de mortalidade dos bichos e ao mesmo tempo produzindo alimento de qualidade.

Para que uma célula possa virar um pedaço de carne dentro do laboratório os cientistas a retiram dos animais e a multiplicam até criarem fibras, que são transformadas em músculos capazes de se contrair e relaxar. De acordo com os cálculos do Menphis Meat, a população bovina de 1,5 bilhão de cabeças poderia ser reduzida para 10 mil em todo o mundo, diminuindo consideravelmente a liberação de gases que promovem o efeito estufa por parte da pecuária.

As únicas tentativas para criar o produto em laboratório até hoje usavam células vegetais, o que podia dar um sabor semelhante ao original, mas não continha os nutrientes e o aspecto compatíveis com a carne em si. A expectativa é de que a empresa possa ter a carne desenvolvida em laboratório disponível para a comercialização até 2021. O único empecilho da disseminação desta prática no mundo todo é a resistência de alguns países para regulamentar o produto, que é de origem animal, mas é praticamente todo produzido artificialmente.

Fonte: Agrolink

Um carroceiro de 29 anos foi preso pela Polícia Militar por maus-tratos contra uma égua na tarde desta sexta-feira (18) em Três Lagoas, cidade a 325 quilômetros de Campo Grande. De acordo com o site JPNews, o animal foi encontrado em estado de maus tratos, no Centro da cidade, com feridas na pele e debilitado.

Além dos maus tratos, o dono do animal estava embriagado e seguia pela contramão, na rua Bruno Garcia. Motoristas foram quem acionaram a PM e disseram que viram o carroceiro praticando maus-tratos.

Ele que estava acompanhado de um amigo, foi detido na avenida Filinto Muller. Uma médica veterinária também esteve no local junto com membros do grupo “Protetoras Três Lagoas”.

De acordo com a PM, o suspeito não tinha condições de transportar o animal que está em um abrigo temporário.

A presidente do “Protetoras Três Lagoas”, Charlene Bortoleto, explicou que a égua precisa de assistência veterinária e doação de ração. Ela pediu doações em uma publicação na página da rede social. “Alguém pode doar ração para equino??? Também tem que fazer uma bateria de soro, cálcio, protetor hepático. Preciso de um vet pra porte grande e ajuda para o comprar esses medicamentos”.

Fonte: Midiamax

Para o primeiro, partido segue afirmando que ex-presidente estará no páreo

Instantes depois de visitar o ex-presidente Lula na prisão, na quinta-feira (17), a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, afirmou que o líder do partido autorizou a sigla a negociar alianças para o segundo turno das eleições presidenciais. Para o primeiro, no entanto, o discurso sobre a manutenção da candidatura de Lula é mantido.

“No primeiro turno, nós teremos candidato, será Lula. No segundo turno, ele vai vencer e queremos fazer uma composição. Se não for ele, nós vamos ver quem da esquerda foi para o segundo turno. Se lá na frente nada der certo, o presidente saberá encaminhar o processo junto com a direção do PT”, afirmou Gleisi à revista Veja.

Leia também: Detento denuncia tortura em prisão da Lava Jato no Paraná

Lula está preso há 40 dias na sede da Polícia Federal em Curitiba - ele foi condenado a 12 anos e um mês de prisão no caso do tríplex do Guarujá.

Fonte: Noticias ao minuto

Quando os militares chegaram à residência em Viçosa encontraram a moradora desesperada. Suspeita é de que gato tenha arrastado o alimento para o chão. Comandante alerta para que corporação seja acionada em casos de perigos reais.

Uma moradora da cidade mineira de Viçosa acionou o Corpo de Bombeiros na noite de segunda-feira (14) depois de achar ter visto uma cobra em casa. Contudo, quando os militares chegaram à residência no Bairro Maria Eugênia, perceberam que se tratava de uma linguiça.

“Quando nossa equipe chegou ao local fomos indicados para o cômodo onde ela suspeitava que estava o animal. Estava muito escuro e a forma com que a linguiça estava no chão realmente poderia levar a pessoa a confundir com uma cobra”, contou por telefone ao G1 o tenente Alexandre Lima Fagundes, comandante do 3º Pelotão.

Ainda de acordo com o tenente, quando os militares chegaram à casa, a moradora estava desesperada e disse que temia ser atacada. "Nós a acolhemos e em seguida os militaresm adotaram todos os procedimentos de segurança para captura de cobras. Ao se aproximarem, os bombeiros perceberam que era uma linguiça com comprimento de pouco mais de um metro. Após a constatação, os bombeiros tranquilizaram a mulher ", acrescentou.

A moradora não informou como a linguiça foi parar no chão, mas a suspeita é de que o gato que ela tem possa ter pegado e arrastado o alimento.

Chamadas para perigos reais
Em entrevista ao G1, o comandante do 3º Pelotão destacou a importância de que as pessoas só acionem o Corpo de Bombeiros quando identificarem que estão em situação de risco real, pois chamadas como esta podem atrapalhar no atendimento de casos de perigo de fato.

“É importante que o solicitante certifique-se de que está em uma situação perigosa antes de acionar os bombeiros, pois um deslocamento desnecessário pode atrapalhar o andamento das atividades e prejudicar outras pessoas que necessitam de socorro”, ressaltou.

Repercussão
Ao longo desta terça-feira (15), vários sites locais publicaram reportagens sobre o assunto e colocaram a foto da linguiça encontrada pelos bombeiros. E apesar de reconhecer que a imagem que circula na internet é de fato da linguiça, o comandante disse ao G1 que desconhece que ela tenha sido tirada e compartilhada por alguém da corporação.

De acordo com o tenente Alexandre Lima Fagundes, a autoria da imagem será investigada. O nome da mulher também foi preservado pela corporação, que disse temer comportamento vexatório contra a moradora.

Fonte: G1

Confira se é verdade ou fake news!

Uma mulher que teria sido presa no bairro Moreninhas, em Campo Grande, por matar cachorros e vender espetinhos feito com a carne dos animais. Ela seria a maior fornecedora de espetinhos da cidade e região. A data não é precisa, nem o nome da acusada ou mesmo o boletim de ocorrência que registrou a prisão.

Para reforçar a notícia, que ganhou corpo nos grupos de WhatsApp, uma imagem impactante de cães pendurados em alças como se estivessem em açougues. Fotos de pedaços de carne espalhados pelo chão de uma casa e de um cão morto tendo o couro retirado. Por fim, a imagem de uma mulher negra sendo presa, com policiais militares ao fundo.

Todos os elementos desta denúncia fazem com que chegue a tremer o dedo de compartilhar a mensagem ao maior número de pessoas possível. Mas, é que tem um detalhe: a notícia é mais falsa que nota de três reais. E, mesmo assim, circulou em Campo Grande, nos últimos dias, como se fosse verdade absoluta.

A reportagem, que diariamente monitora as ocorrências criminais da cidade e do Estado, não encontrou qualquer vestígio de prisão decorrente de “venda de carne de cachorro”, “maus tratos contra animais” ou coisa do tipo nos últimos dias, conforme alardeia a mensagem.

Mas, nem era preciso ir tão longe: as imagens compartilhadas fazem parte de um boato antigo que só muda de endereço e que ressurge de tempos em tempos.

Campo Grande não foi o único alvo do falso boato. Há registros jornalísticos do mesmo suposto fato em diversas cidades do Brasil, bem como um bom artigo do portal E-Farsas, especializado em desvendar boatos na Internet, que explicam tim-tim por tim-tim porque não existe mulher presa por matar cães e vender a carne em cidade alguma do Brasil.

Segundo o portal, as fotografias nem sequer foram tiradas no Brasil. A dos animais pendurados pelo focinho é de 2013, tirada no Vietnã. Já a que traz carne espalhada pelo chão diz respeito a boato semelhante na Índia em… 2017. Já a do cão sendo tendo o couro retirado é bem antiguinha, pelo menos desde 2015 circula na web. Ou seja: o boato é, sem dúvidas, falso!

Fonte: Midiamax

A população de Mato Grosso do Sul vai conhecer o teor do Plano de Recursos Hídricos da Região Hidrográfica do Paraguai (PRH Paraguai), documento que traça as diretrizes, normatiza e prevê ações visando a conservação da água superficial e subterrânea da vasta região compreendida como bacia do rio Paraguai, que engloba metade do território de Mato Grosso do Sul e um terço do estado de Mato Grosso. O Plano será lançado oficialmente nesta terça-feira (15), em Encontro de Divulgação no Auditório Shirley Palmeira do Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul)), às 18h30, com entrada franca e sem necessidade de confirmação.

O PRH Paraguai é uma construção conjunta entre o Ministério do Meio Ambiente e os governos de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, por intermédio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar e o Imasul.O estudo será apresentado pelo professor Marcio de Araújo Silva, especialista da Agência Nacional das Águas (ANA), mestre em Ciências Ambientais e Florestais e doutor em Biologia Animal. Na semana seguinte a mesma apresentação será feita em Cuiabá, para os mato-grossenses. Antes, pela manhã, o professor Marcio de Araújo Silva fará uma apresentação exclusiva para a imprensa, também no auditório do Imasul.

Histórico

O lançamento do PRH Paraguai marca o fechamento de um longo trabalho que envolveu levantamento de dados, consultas e diagnósticos; a análise de especialistas, tudo com transparência e participação da população. Foram realizadas Oficinas Regionais e Reuniões Públicas em Coxim, Bonito e Corumbá, em novembro do ano passado, para apresentação prévia do estudo e coleta de sugestões.

O estudo inicial para elaboração do Plano de Recursos Hídricos começou pela caracterização da Bacia do rio Paraguai, na parte existente em território brasileiro. Abrange metade de Mato Grosso do Sul e o Sul de Mato Grosso, totalizando 362 mil quilômetros quadrados. O rio Paraguai é o principal curso d’água, mas a região é rica em cursos d’água por abrigar a planície pantaneira. Um resumo do estudo foi apresentado pela primeira vez durante a reunião do Conselho Estadual de Recursos Hídricos de MS (CERH/MS) realizada dia 13 de julho, no auditório do Imasul. O estudo identifica os problemas já detectados, como desmatamento em pontos que provocam o assoreamento de rios, mas conclui que as águas estão em quantidade e qualidade adequadas, com problemas isolados.

O segundo passo foi levantar a disponibilidade e a demanda hídrica e elaborar o balanço do ponto de vista de qualidade e quantidade. A percepção foi que “o balanço hídrico integrado da RH-Paraguai se acha confortável, com saldo disponível tanto de águas superficiais quanto de águas subterrâneas em todos os cenários”. O estudo apontou, entretanto, pressões que os recursos naturais vêm sofrendo, tanto pelas cidades sem o tratamento adequado de esgoto quanto pelo setor agropecuário.

Fonte: Notícias MS

A morte do atleta de montaria em touro, Giliard Antônio da Silva, de 24 anos, na noite de domingo (13), durante a final do Rodeio da Expoingá, em Maringá, chamou a atenção pela forma como ocorreu.

O rapaz montava o touro Cineasta, de 1 tonelada quando caiu e foi pisoteado na cabeça pelo animal. As imagens são bastante fortes e é possível ver que após ser pisoteado ele ainda se levanta e busca proteção atrás do palhaço, mas cai desmaiado.

O peão sofreu uma fratura na coluna cervical e apesar de ter recebido atendimento, e dos 40 minutos de tentativa de reanimação, ele morreu.

Na sexta-feira (11), em participação ao vivo no SBT Paraná, da Rede Massa, Giliard conversou com o repórter Geovan Petry, que perguntou se ele não tinha medo. Giliard respondeu que “sim, tinha medo, mas que a fé em Deus era maior”.

 

Giliard era casado e deixou uma filha de um ano. O rapaz era natural de Monte Belo, em Minas Gerais.

Fonte: Rede massa

O Concurso 2.040 da Mega-Sena, com prêmio previsto de R$ 50 milhões, foi sorteado na noite de sábado (12) em Maravilha (SC). Nenhum apostador acertou os seis números sorteados. Confira as dezenas: 06 – 09 – 41– 54 – 56 – 58.

Sessenta e sete ganhadores acertaram a quina e cada um levará prêmio de R$ 52.696,38. Foram 5.680 apostas ganhadoras da quadra e cada uma vai levar R$ 887,99.

O próximo concurso, que será sorteado na quarta-feira (16), tem um prêmio acumulado estimado em R$ 60 milhões. As apostas podem ser feitas na lotéricas Fratucci Forte  de Novo Horizonte do Sul.

Fonte: Jornal da Nova / ValemsNews

Os autores escalaram o muro da agência, entraram pelo telhado, desligaram câmeras de segurança e arrombaram o cofre de onde levaram certa quantia em dinheiro que não foi divulgada

 

Três pessoas foram presas e um adolescente apreendido pelo furto à agência do banco Sicredi em Sonora, cidade a 356 quilômetros de Campo Grande, ocorrido na madrugada do último dia 6 de maio.

Os autores escalaram o muro da agência, entraram pelo telhado, desligaram câmeras de segurança e arrombaram o cofre de onde levaram certa quantia em dinheiro que não foi divulgada. Durante as prisões, a polícia apreendeu R$ 31,138 mil.

Após o furto, os autores abandonaram peças de ferramentas e uma manta contra sensor de movimento. De acordo com a polícia, foi possível verificar, através de câmeras de segurança, os ladrões deixando a agência pelo teto, carregando malotes, por volta das 5h50.

A Polícia Civil então iniciou um trabalho de levantamento e cruzamento de informações, e constatou a utilização de um veículo Fiat Uno Mille Way, com placas de Cuiabá (MT). O veículo, de acordo com a polícia, foi utilizado para dar cobertura ao furto, como também para dar fuga aos autores.

Foi então feito um trabalho conjunto entre a delegacia de Sonora, Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco e Resgate a Assaltos e Sequestros), GCCO (Gerência de Combate ao Crime Organizado da Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso) e Polícia Federal.

Nesta quinta-feira (10), por volta das 22h, em Cuiabá (MT), o Garras prendeu Ronaldo Sousa da Silva, que segundo a polícia, era o condutor do Fiat Uno. Com Ronaldo, foi apreendido R$ 2.680, 62 munições calibre 9mm, uma munição calibre 38 e 30 munições calibre .40. Ele foi preso em flagrante por associação criminosa e porte ilegal de munições de uso restrito.

Já em Sonora, policiais civis também prenderam Nalva Fonte de Lima, 35, e apreendeu seu filho de 15 anos. Ainda segundo a polícia, mãe e filho deram apoio a seis homens que vieram de Cuiabá e ficaram em sua casa.

Nalva, em sua moto Honda Biz, recepcionou os autores do último dia 03, na entrada da cidade. Já em relação ao seu filho, houve indícios do envolvimento dele que postou uma selfie em rede social vestindo uma camiseta idêntica à camiseta abandonada no interior da agência.

Com Nalva e o jovem foram apreendidos ferramentas utilizadas no furto, munições calibre 38, uma espingarda adaptada e R$ 28.458,00 em dinheiro. Nalva e o adolescente confessaram participação no crime, e disseram que abrigaram os comparsas entre os dias 03 e receberam certa quantia do dinheiro furtado.

Na noite desta sexta-feira (11), outro integrante que ainda não teve o nome divulgado, foi preso pelo Garras. Ainda de acordo com a polícia, Cleverson França dos Santos, vulgo “Huck”, encontra-se foragido.

Fonte: Midiamax

Pagina 1 de 26

Salvar

Template Settings

Theme Colors

Blue Red Green Oranges Pink

Layout

Wide Boxed Framed Rounded
Patterns for Layour: Boxed, Framed, Rounded
Top