Brasil (103)

O documento vai ser parecido com um cartão de crédito, de plástico e com chip, para aumentar a segurança e evitar fraudes

A partir de janeiro de 2019 a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) vai ter um novo formato. O documento vai ser parecido com um cartão de crédito, de plástico e com chip, para aumentar a segurança e evitar fraudes.

A CNH vai ter maior resistência, maior durabilidade e permitirá a inserção de dados e informações relativas aos condutores nos chips. Além disso, os motoristas vão poder usar o documento para pagamento de pedágio, de transporte público e para controle de acesso, como por exemplo, prédios públicos, universidades, estacionamentos, entre outros. É o que explica o ministro das Cidades, Alexandre Baldy.

“A intenção do Departamento Nacional de Trânsito é justamente facilitar a vida de todos os usuários, de todos os brasileiros e também colocando o Brasil entre os países mais desenvolvidos do mundo, que já utilizam a carteira de habilitação, que é o documento mais utilizado pelos cidadãos, mais moderno, mais inovador e capaz de agregar novas tecnologias.”

De acordo com o ministro, até 1º de janeiro de 2019 os órgãos e as entidades executivas de trânsito dos estados e do Distrito Federal deverão adequar seus procedimentos para adoção do novo modelo da CNH.

“Os departamentos estaduais de trânsito terão até janeiro de 2019 para se adaptarem e para concretizarem até janeiro de 2019 a adequação na emissão destes documentos, destas carteiras de habilitação, já neste novo modelo, que possibilitará uma facilidade ao transporte, principalmente a segurança, e inclusive, a agregação de novas tecnologias e outros serviços na vida dos cidadãos.”

Quem vai controlar as chaves de acesso aos dados gravados no chip será o Departamento Nacional de Trânsito, o Denatran, que pode permitir, através de convênio, que outras entidades públicas ou privadas utilizem “pastas ou aplicações específicas” dentro do chip, sem correr o risco de leitura ou gravação indevida de dados protegidos e sigilosos.

Fonte: A critica

Embarcação de pequeno porte afundou na tarde deste domingo (10). Havia nove venezuelanos e um brasileiro no barco.

Um barco de pequeno porte com dez pessoas naufragou por volta das 16h45 deste domingo (10) no Rio Branco, em Boa Vista. Três estão desaparecidos. O Corpo de Bombeiros fez buscas no local até às 18h40.

Os trabalhos devem ser retomados na manhã desta segunda-feira (10).

Segundo a oficial dos Bombeiros tenente Lúcia Frasão, que acompanhou as buscas, estavam no barco nove venezuelanos e um brasileiro, que era o condutor.

"Tinha um grupo de venezuelanos tomando banho próximo da margem de lá do rio e na hora de vir embora teve uma pessoa que não conseguiu embarcar e o barco virou com todos dentro", disse a tenente.

Sete conseguiram nadar até a margem e os outros desapareceram. Conforme os Bombeiros, havia mais pessoas que o permitido para o tamanho da embarcação.

Duas embarcações dos Bombeiros fizeram buscas durante toda a tarde e início da noite, mas ninguém foi achado. A equipe era composta por mergulhadores que fizeram buscas na superfície e no fundo do rio.

Todos os tripulantes e o condutor, segundo a tenente Frasão, estavam sem equipamentos de segurança.

"Nenhum estava utilizando o colete salva vidas e a capacidade da embarcação não estava sendo respeitrada", disse Frasão.

Um pescador que estava próximo do local relatou que o barco afundou próximo de uma balsa que fica ancorada no rio.

"Eram nove venezuelanos e o brasileiro que conduzia a embarcação. Todos que estavam no barco eram homens. Os três que sumiram ainda nadaram até uma parte do rio, mas não conseguiram chegar até a margem", relatou.

'Foi muito rápido, questão de segundos'
O venezuelano Rafael Bohorquez, de 31 anos, disse que ele os amigos estavam se divertindo quando ocorreu o acidente. Emocionado, ele lamentou o ocorrido e disse que a correnteza do rio estava muito forte.

"Foi tudo muito rápido, questão de segundos. Estávamos nadando, nos divertindo. Quando afundou começamos a nadar para nos salvar. Gostaria muito de ter ajudado meus amigos, mas foi algo inexplicável", disse.

Fonte: G1

A Câmara dos Deputados aprovou hoje (6) o aumento da pena para motoristas sob efeito de álcool ou drogas que provocar acidente com morte. Pelo texto, a punição para o crime será de reclusão de cinco a oito anos.

O Projeto de Lei 5568/13, de autoria da deputada Keiko Ota (PSB-SP), já passou pelo Senado e agora segue para sanção presidencial.

O texto original da Câmara, aprovado em setembro de 2015, estabelecia pena de detenção de dois a quatro anos. Com o prazo alterado pelo Senado, a matéria precisou retornar para votação pelos deputados. A atual penalidade administrativa de suspensão ou proibição de se obter a permissão ou a habilitação para dirigir veículo automotor continua valendo.

No plenário, os deputados rejeitaram duas alterações ao texto feitas pelo Senado, uma delas a que acabava com o limite máximo de álcool a partir do qual o condutor flagrado pode ser condenado a pena de detenção de seis meses a três anos, multa e suspensão da carteira ou proibição de obtê-la.

Atualmente, é prevista pena para o condutor flagrado dirigindo com concentração igual ou superior a 6 decigramas de álcool por litro de sangue ou igual ou superior a 0,3 miligrama de álcool por litro de ar nos pulmões.

As novas regras entrarão em vigor após 120 dias da publicação da lei.

Fonte: Agencia Brasil

Deficit na corporação já ameaça passar de 4 mil no próximo ano

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) poderá entrar em colapso, já no próximo ano, caso o governo federal não autorize a realização de novo concurso público. O alerta é do diretor-geral da própria PRF, Renato Antônio Borges Dias, que nesta sexta-feira esteve em Campo Grande para companhar de perto o trabalho desenvolvido em Mato Grosso do Sul pela corporação.

A insuficiência de efetivo é o grande gargalo das ações operacionais da PRF em todo o Brasil. Atualmente, o seu deficit de pessoal está na casa de 2.800 policiais e, se não for realizado um concurso imediatamente, esse número poderá passar de 4.800 até o fim de 2018.

A perda, considerada significativa, se dará em decorrência das aposentadorias projetadas para o próximo ano, em torno de 2.053.

Segundo o diretor, além dos prejuízos às suas atividades operacionais, a PRF será obrigada a fechar 124 postos no País. Havendo essas desativações, pelo menos 400 municípios serão prejudicados pela suspensão de policiamento em 18 mil quilômetros de rodovias.

Em julho, algumas atividades administrativas e operacionais da corporação foram suspensas em razão da falta de pessoal. O último concurso da PRF para o cargo de policial rodoviário ocorreu em 2013, com a oferta de 1.000 vagas.

Fonte: Correio do Estado

A Justiça Federal em Brasília decidiu nesta quinta-feira, dia 30 de novembro, determinar a suspensão da campanha publicitária sobre a reforma da Previdência Social. A decisão foi proferida pela juíza Rosimayre Gonçalves de Carvalho, da 14ª Vara Federal, a partir de uma ação protocolada pela Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Anfip). Na decisão, a juíza entendeu que o conteúdo das peças publicitárias veicula desinformações.

"A notícia leva a população brasileira a acreditar que o verdadeiro motivo do déficit previdenciário é decorrência exclusiva do regime jurídico do funcionalismo público, sem observar quaisquer peculiaridades relativas aos serviços públicos e até mesmo às reformas realizadas anteriormente. Essa diretriz, conduz a população ao engano de acreditar que apenas os servidores públicos serão atingidos pela mudança", disse a juíza.

Após a decisão, a Advocacia-Geral da União (AGU) informou que vai recorrer da decisão.

Agencia Brasil

Um vídeo gravado na última segunda-feira (27) em frente ao Colégio Carlos de Santana em Belo Campo , Bahia, mostra aluna de 17 anos sendo agredida e tendo seu cabelo cortado por uma suposta educadora da região.

Segundo a vítima, antes da aula começar, a mulher teria a atraído para fora do colégio e começado a agredir e cortar seu cabelo com uma tesoura.

Depois da agressão, a estudante foi encaminhada para a direção da escola, onde recebeu orientação para registrar Boletim de Ocorrência. "Ela ficou abalada após a agressão e está realizando as provas em sua residência", relatou a vice-diretora ao 'Bahia

Fonte: Noriciasaominuto

Camarão, queijo francês, presunto de Parma, castanha, bolinho de bacalhau, iogurte... Na cela do ex-governador Sérgio Cabral

Camarão, queijo francês, presunto de Parma, castanha, bolinho de bacalhau, iogurte... Na cela do ex-governador Sérgio Cabral, dentro da cadeia José Frederico Marques, em Benfica, Zona Norte do Rio, os promotores do Ministério Público encontraram, na última sexta-feira (dia 24), um cardápio com tudo do bom e do melhor. Já em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, o menu da pensionista da PM Alessandra Fernandes Givaldi, de 43 anos, é bem diferente: tem somente arroz, feijão e carne moída, às vezes substituída por carne de hambúrguer ou ovos. Enquanto Cabral passa bem atrás das grades, servidores, pensionistas e aposentados afetados pela crise do estado “comem o pão que o diabo amassou”.

— Mesmo preso, ele (Cabral) só come coisa boa. E eu, aqui em casa, passando necessidade... É um deboche! — desabafa Alessandra, com a despensa e a geladeira praticamente vazias.

A pensão de R$ 2.705 — que, com descontos do empréstimo consignado, caiu para R$ 1.846 —, vem sendo paga com atraso desde fevereiro e é corroída por dívidas que somam cerca de R$ 15 mil. O que sobra mal dá para a alimentação e os remédios.

— Cortei itens necessários à minha saúde porque falta dinheiro para comprar tudo que preciso — conta Alessandra.
A servidora da Faetec Gilda Fontes, de 54 anos, com salários em atraso desde setembro, também entrou numa dieta forçada à base de arroz, feijão, frango e peixe, “porque são mais em conta”. A carne, a Nutella e o Ovomaltine, que a filha adolescente adora, ela deixou de comprar faz tempo.

— É uma falta de respeito com quem trabalha! — disse, sobre o privilégio de Cabral.

Na cela de Cabral, um menu de itens nobres Foto: Reprodução de vídeo

‘Parma? Nunca vi nem comi, só ouço falar’

A última vez que Marilda dos Anjos Reis, de 68 anos, viu a cor de seu dinheiro, fruto do vencimento de R$ 2.250 como laboratorista da Uerj, foi em setembro. A servidora, que cria quatro netos com idades entre 11 e 13 anos, considerou humilhação com o funcionalismo público a regalia de Sérgio Cabral na prisão. No cardápio dela só entram arroz, feijão e ovo.

Mesmo vivendo de ajuda, a moradora de Santa Cruz, na Zona Oeste, não perde o bom humor. Perguntada se já provou do queijo francês e do presunto de Parma, achados na cela de Cabral, ela brincou:

— Parma? Estou igual a Zeca Pagodinho: “nunca vi nem comi, só ouço falar”... Camarão, só como quando ganho de um amigo pescador, de Maricá.

Visitas na prisão

Na manhã deste sábado (dia 25), Sérgio Cabral recebeu visita na cadeia, assim como a ex-governadora Rosinha Garotinho e o presidente afastado da Alerj, Jorge Picciani: o deputado federal Marco Antônio Cabral, a secretária municipal de Desenvolvimento, Emprego e Inovação do Rio Clarissa Garotinho e o deputado estadual Rafael Picciani foram ver seus respectivos pais. Felipe Picciani, irmão de Rafael, também está detido ali.

Fonte: Extra

Caixa Econômica Federal realizou neste sábado (25) o concurso 1.991 da Mega-Sena. As dezenas sorteadas foram: 19 - 20 - 28 - 34 - 36 - 44.

Ninguém acertou as 6 dezenas, e o prêmio acumulou em R$ 65 milhões. O sorteio foi às 20h (horário de Brasília) em Italva (RJ).

A Quina teve 80 acertadores, e cada um ganhou R$ 48.195,29. Outras 6.152 pessoas ganharam na Quadra, e vão levar R$ 895,32.

Probabilidades

A probabilidade de vencer em cada concurso varia de acordo com o número de dezenas jogadas e do tipo de aposta realizada. Para a aposta simples, com apenas seis dezenas, com preço de R$ 3,50, a probabilidade de ganhar o prêmio milionário é de 1 em 50.063.860, segundo a Caixa.

Já para uma aposta com 15 dezenas (limite máximo), com o preço de R$ 17.517,50, a probabilidade de acertar o prêmio é de 1 em 10.003, ainda segundo a Caixa.

Fonte: Midiamax

Registrou 41.106.021 linhas fixas

 

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) informou hoje (24) que o Brasil registrou 41.106.021 linhas fixas de telefone em setembro de 2017, o que corresponde a uma redução de 1.135.158 (-2,69%) quando comparado com o mesmo mês do ano passado.

Enquanto as linhas das concessionárias da telefonia fixa apresentaram queda de 1.056.716 linhas (-4,23%), as empresas autorizadas perderam 78.442 acessos (-0,46%) no período.

Entre as autorizadas, a TIM, com a entrada de 199.651 novas linhas, apresentou o maior crescimento nos últimos 12 meses, de 38,57%, seguida da Algar Telecom, com mais 70.283 novas linhas (28,55%), e da Oi, com 15.279 novos acessos (9,68%), conforme dados da Anatel.

As concessionárias que apresentaram crescimento no período foram Algar Telecom, com 21.035 novas linhas (2,87%), e a Claro, com a adição de 177 novos números (10,79%). As demais registraram redução.

Linhas fixas

Na comparação entre setembro e agosto de 2017, o país registrou redução de 117.493 linhas fixas, queda de 029%. As concessionárias apresentaram diminuição de 136.761 linhas (-0,57%) e as autorizadas aumento de 19.268 linhas fixas (+0,11%).

Comparando setembro de 2017 com o mês anterior, entre as autorizadas, a Algar Telecom registrou 4.390 novas linhas (+1,41%) e todos os demais grupos apresentaram variação menor do que 1% para cima ou para baixo. Entre as concessionárias, a maior redução foi da Oi, com menos 83.164 linhas fixas (-0,61%), seguida da Vivo, com menos 53.148 linhas fixas (-0,56%).

Estados

O maior crescimento no número de linhas das autorizadas foi em Santa Catarina, com 47.098 novas linhas (+6,91%) nos últimos 12 meses. A maior redução foi em São Paulo, com menos 80.995 (-1,38%). Em relação às concessionárias, todos os estados apresentaram queda no período.

Na comparação entre setembro e agosto de 2017, Minas Gerais apresentou o maior crescimento das autorizadas no país, com mais 4.797 linhas (+0,35%), e o Rio de Janeiro a maior queda, com menos 4.439 linhas fixas (-0,21%). Em relação às concessionárias, o Acre com mais 79 linhas (+0,13%) foi o único estado que apresentou variação positiva.

Fonte: Midiamax

Uma escola municipal da Zona Norte do Rio de Janeiro viveu momentos de tensão na manhã de quinta-feira (23). O problema envolveu um aluno de nove anos que, com uma faca em mãos, ameaçou a professora e os colegas dentro da sala de aula. O nome da escola bem como os possíveis motivos que levaram a criança a promover o ato não foram divulgados.

Segundo o jornal Extra, diversas instituições de saúde, educação e segurança foram acionadas para lidar com o caso. A Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos prometeu enviar uma equipe à família do garoto para entender o contexto vivido por ele.

Não houve registro de boletim de ocorrência, mas o Conselho Tutelar, que orientou o colégio a acionar a polícia, quer um relatório sobre o ocorrido para poder notificar os responsáveis pelo jovem.

Fonte: Noticiasaominuto

Pagina 1 de 8

Salvar

Template Settings

Theme Colors

Blue Red Green Oranges Pink

Layout

Wide Boxed Framed Rounded
Patterns for Layour: Boxed, Framed, Rounded
Top