Mato Grosso do Sul (256)

Então candidatos, concorrentes buscaram a Justiça Eleitoral para denunciar supostas irregularidades

Em guerra eleitoral na Justiça, Reinaldo Azambuja (PSDB), reeleito para mais quatro anos de mandato, e o juiz Odilon de Oliveira (PDT) registraram 23 processos, ao todo, no Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul (TRE/MS), entre setembro e outubro deste ano.

Odilon foi processado 17 vezes pela coligação Avançar com Responsabilidade, formada pelo PSDB e mais 11 partidos, e em 14 vezes foi pedido o direito de resposta.

Esse direito de resposta ocorreu em razão de propagandas eleitorais gratuitas de Odilon que atacavam o atual governador. A campanha de ambos os candidatos que disputaram o segundo turno foi de ofensas e ataques, principalmente nos debates realizados no Estado.

Em um desses pedidos, o juiz reconheceu o ataque, já que, no horário eleitoral de Odilon no rádio, nos dias 20 e 21 de outubro, foi veiculado que Azambuja era investigado, levando o eleitor a entender que o juiz federal aposentado não tinha nenhuma investigação. O que não é verdade.

Em outro caso, foi registrado um pedido de concessão de perda do direito de propaganda no horário eleitoral gratuito em rede, veiculada no horário de Odilon, no dia 28 de setembro, em que foi mostrada uma propaganda com barulhos e imagens de sirenes, seguida de manchetes de reportagens sobre a operação da Polícia Federal denominada Vostok, citando Azambuja. Porém, o juiz auxiliar Alexandre Branco Pucci julgou improcedente a representação e indeferiu o pedido de perda de tempo no horário eleitoral.

Fonte: Correio do Estado

 

Ex-governador foi denunciado por improbidade administrativa envolvendo recursos para a Saúde

O TRF3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região) aceitou o pedido da defesa do ex-governador André Puccinelli (MDB) e suspendeu o bloqueio de R$ 12,5 milhões solicitado pelo MPF (Ministério Público Federal). A decisão é do desembargador Marcelo Saraiva, da 4ª Vara Federal.

O ex-governador foi denunciado por improbidade administrativa envolvendo recursos para a Saúde. Foram denunciados Puccinelli e os então secretários Antônio Lastória, de Saúde, e Jader Rieffe Julianelli Afonso, à época titular da Sefaz (Secretaria de Fazenda).

Na ação, de junho de 2016, o Ministério Público pede condenação por improbidade e pagamento de dano moral coletivo de R$ 10 milhões. Eles são acusados de não aplicar o mínimo constitucional de 12% em ações e serviços públicos de saúde em 2013, provocando déficit de R$ 374 milhões.

“Na melhor das hipóteses, o Estado deixou de investir R$ 27.577.508,53 na saúde pública, montante já considerável. Se analisarmos que nem todo o valor declarado foi de recursos próprios, subimos para um prejuízo de R$ 227.295.499,53”, informou o Ministério Público em setembro do ano passado.

Fonte: Campo Grande News

 

Governador chama a atenção para a necessidade de um efetivo envolvimento da União

Um dia após garantir a reeleição, o governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), voltou a afirmar que a segurança nas regiões de fronteira depende de auxílio do governo federal. As fronteiras com a Bolívia e Paragua, pelo Mato Grosso do Sul, são as principais portas de entrada da cocaína e maconha consumidas nos grandes centros brasileiros, especialmente o Rio de Janeiro e São Paulo, e passagem para o tráfico ao exterior. Por essas áreas também passam o contrabando e o tráfico de armas que alimentam o crime organizado nos morros cariocas.

O governador garantiu que já entregou um programa de segurança ao presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), solicitando o devido apoio, e disse que os dois devem discutir o assunto em reunião já na semana que vem. “Eu tenho um programa que entreguei para a Dilma e entreguei para o Temer. Nós já mandamos para o Bolsonaro, o Onyx (Lorenzoni) ligou para a gente ter uma reunião na semana que vem e discutir um pouco segurança de fronteira. Nessa discussão eu vou levar para o presidente Bolsonaro qual a nossa opinião. Já que ele sinalizou a parceria”, afirmou o governador reeleito, em entrevista exclusiva ao Correio do Estado.

Conforme Azambuja, o objetivo principal do governo é unificar a inteligência da segurança de fronteira, para que haja uma integração entre as forças . “O que eu acho? Acho interessante unificar a inteligência de fronteira, forças de tropas federais, não tem jeito, não vamos conseguir fazer segurança de fronteira sem força federal. Com quem? Com Exército, Polícia Federal, Polícia Rodoviária, não sei, com Guarda Nacional. Agora, eles (Governo Federal) precisam fortalecer. Terminar o Sisfron (Sistema Integrado de Monitoramento da Fronteira) ajuda muito, porque ele era um sistema integrado de vigilância de fronteira, então é muito importante. Acho que essa pauta é prioritária para o Estado”, explicou.

Fonte: Correio do Estado

 

Reeleito governador de Mato Grosso do Sul com 52,35% (677.310) dos votos válidos, Reinaldo Azambuja (PSDB) foi o mais votado em 56 dos 79 municípios. O tucano teve a preferência de 70,9% das cidades.

Azambuja fez 53,11% (243.742) dos votos válidos no maior colégio eleitoral do Estado, Campo Grande.
O tucano levou a melhor também em Corumbá (52,01%, 23.744 votos) e em Ponta Porã (56,46%, 23.496 votos). O município em que Azambuja venceu com maior vantagem porcentual foi Japorã, com 78,75% (2.901).

Juiz Odilon (PDT), derrotado com 47,65% dos votos válidos (616.422) do Estado, venceu o adversário em 23 municípios – 29,1% do total de cidades. O juiz federal aposentado foi preferido em Dourados (50,54%, 55.231 votos) e Três Lagoas (56,44%, 27.122 votos).

O candidato vencido conseguiu sua maior vantagem perante Azambuja em Sonora, onde 67,93% (4.779) do eleitorado votou nele.

ABSTENÇÕES

Dos 1.877.020 eleitores sul-mato-grossenses, 427.646 não compareceram às urnas – o equivalente a 22,78% de abstenção. Foram 1.449.374 votos, com 1.293.732 válidos (89,26%), 116.897 nulos (8,07%) e 38.745 brancos (2,67%).

Fonte: Correio do Estado

 

Governador garantiu a reeleição com 52,35% dos votos válidos

Reinaldo Azambuja (PSDB), reeleito governador de Mato Grosso do Sul comemora a vitória no comitê do partido localizado na Avenida Marechal Deodoro, em Campo Grande. “Vou trabalhar dobrado em 2019” garantiu o governador reeleito.

Com festa junto do partido, Azambuja disse que a campanha foi complicada devido às denúncias e ataques que sofreu. “A nossa campanha foi difícil, mas graças a Deus consegui sair inocente de todas as calúnias”, disse.

De acordo com o governador, os próximos passos é regionalizar a saúde e colocar em prática novos planos de governo.

APURAÇÃO DOS VOTOS

Reeleito governador de Mato Grosso do Sul com 52,35% (677.310) dos votos válidos, Reinaldo Azambuja (PSDB) foi o mais votado em três dos cinco maiores municípios do Estado - Campo Grande, Corumbá e Ponta Porã.

O tucano fez 53,11% dos votos válidos na Capital, equivalentes a 243.742 eleitores. Derrotado, Juiz Odilon (PDT) ficou com 46,89%, ou 215.193 votos.

Azambuja conquistou 52,01% dos votos válidos em Corumbá, que correspondem a 23.744 pessoas. Já o juiz federal aposentado terminou com 47,99% da preferência na cidade pantaneira, com 21.909 eleitores.

Já no município de Ponta Porã, o tucano conseguiu 56,46%, equivalentes a 23.496 votantes. Na mesma cidade, Juiz Odilon acabou com 43,54% da preferência, ou 18.116 votos.

Fonte: Correio do Estado

 

 

Reinaldo Azambuja, do PSDB, e Odilon de Oliveira, do PDT, disputam o 2º turno, cuja votação ocorre domingo (dia 28)

Os candidatos ao Governo de Mato Grosso do Sul entram na reta final de campanha no 2º turno. Confira as agendas:

Odilon de Oliveira, do PDT, concede entrevista das 9 às 10 horas na rádio CBN e, à noite, vai ao debate promovido pela TV Morena.

Reinaldo Azambuja, atual governador e candidato à reeleição pelo PSDB, tem entrevista às 7h30 na 90 FM-Ribas do Rio Pardo, por telefone. A partir das 21 horas, o tucano vai ao confronto entre os postulantes.

Os dois chegam à reta final nesta quinta-feira, restando dois dias para o pleito eleitoral. No domingo (dia 28), os eleitores vão às urnas para escolher o governador e presidente da República, disputado entre Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL).

Fonte: Campo Grande News

 

Governador mantém 10% de vantagem sobre Odilon de Oliveira

Com 55% dos votos válidos o governador Reinaldo Azambuja, candidato à reeleição pelo PSDB, mantém a liderança a preferência do eleitorado em pesquisa espontânea superando em 10% o Odilon de Oliveira, candidato do PDT, que está com 45%. É o retrato da mais recente pesquisa realizado pelo Instituto Real Time Big Data para aferir a preferência do eleitorado na disputa pelo Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, os números foram divulgado nesta terça-feira (23).

Os dois candidatos que disputam o segundo turno na eleição estadual estão apresentando pouca variação em seus percentuais, ou seja, estão oscilando na margem de erro. Reinaldo Azambuja (PSDB) tinha 57% no dia 16 de outubro; no dia 19 foi a 56% e agora está com 55%. Já o Juíz Odilon (PDT) saiu de 43%; foi a 44% e agora atingiu 45%.

O levantamento foi realizado em Campo Grande e cidades do interior do Estado pelo Instituto Real Time Big Data encomendada pela Record TV. O resultado terceira pesquisa do instituto sobre o segundo turno da eleição.

A pesquisa foi realizada nesta segunda-feira, 22 de outubro de 2018, com 1.500 entrevistados.

A divisão amostral foi feita da seguinte maneira Campo Grande (32%); Região Sudoeste - Dourados / Maracaju / Ponta Porã / Amambaí / Caarapó / Naviraí / Ivinhema (34%); Região Leste –Três Lagoas / Nova Andradina / Chapadão do Sul / Cassilândia / Aparecida do Taboado (20%); Região Norte / Pantanasi – Corumbá / Sidrolândia / Ladário / Coxim (14%). A margem de erro é de 3,0% e o nível de confiança: 95%. A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MS) sob o número MS-09855-2018// BR-00918-2018.

Fonte: Jornal da Nova

 

Se a página não for tirada do ar empresa terá multa diária de R$ 30 mil

O juiz eleitoral Wagner Mansur Saad determinou que a empresa Facebook tire do ar num prazo de 24 horas a página “MS sem Corrupção” que, segundo a coligação Avançar Com Responsabilidade, teria sido criada com o propósito de divulgar notícias falsas e caluniosas contra o candidato ao governo de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja. Despacho em questão foi definido ontem, sábado (20), contudo, até por volta das 15h deste domingo (21), a página ainda permanecia no ar.

Além de determinar a remoção da página, a corte eleitoral determinou ainda que o Facebook “deverá adotar providências para interromper o impulsionamento contratado, a fim de cessar a divulgação paga das postagens da página MS sem corrupção, sob pena de multa diária de R$ 30.000,00, devendo comunicar este Juízo do cumprimento da tutela de urgência ao final dos prazos”.

De acordo com representação da aliança do governador, “o perfil anônimo teria sido criado no dia 16 de outubro de 2018 com único propósito de atacar e denegrir a imagem do candidato e governador Reinaldo Azambuja, e que buscaria criar na população estados mentais, com intuito de denegrir a imagem do Governador e candidato Reinaldo Azambuja, estimulando a população a desacreditar no candidato e, por via transversa, favorecer o outro candidato na disputa eleitoral”.

Ainda conforme a representação, “todas as suas postagens contêm direcionamento às eleições 2018, especialmente voltadas contra o candidato Reinaldo Azambuja, devendo ser ressaltado que duas delas contêm informação sabidamente inverídica ou de difícil constatação, além de possuírem natureza difamatória”.

Para o juiz Mansur Saad, "ao acessar o link fornecido pela representante, não se pode concluir de outra forma senão a de que a página referida teria sido criada com objetivo eleitoral".

Fonte: Topmidianews

 

Mandado determina apreender "Fake News" produzido contra PSDB

A Justiça Eleitoral de Mato Grosso do Sul, determinou nesta sexta-feira (19), um mandado de contestação, busca e apreensão de materiais impressos e computadores produzindo Fake News, em um imóvel sob a coordenação de Júlio Cabral, diretamente envolvido na campanha ao governo estadual, juiz Odilon de Oliveira (PDT).

A suspeita é de que pessoas ligadas à coordenação da campanha do juiz federal aposentado, está sendo elaborado material digital e impresso falso, as conhecidas Fake News, tão faladas nas campanhas deste ano.

Os materiais deturpam a imagem do governador e candidato à reeleição, Reinaldo Azambuja (PSDB), de acordo com a coligação “Avançar com Responsabilidade” do PSDB e mais 11 partidos, que ingressou com pedido de providências, alegando as Fake News.

Segundo o pedido, após a elaboração dos materiais, é repassado a terceiros para iniciarem o compartilhamento e depois delegam, para ocultação de provas. A criança das Fake News está sendo feita na rua 14 de Julho.

A coligação pediu ainda a expedição do mandado de busca e apreensão e a perícia em computadores apreendidos no local.

Diante dos fatos, o juiz eleitoral Paulo Afonso de Oliveira, decidiu que com a ausência de prova dos fatos a expedição de mandado de busca e apreensão de materiais ligados no escritório informado pela coligação.

Julio Cabral é o consultor da campanha de Odilon. A reportagem do Correio do Estado tentou entrar em contato com ele por telefone, mas o celular está desligado.

De acordo com a Polícia Federa, ainda não há, pelo menos não hoje, deflagração de qualquer operação relativa ao combate de Fake News. Porém, para cumprir a decisão do juiz, agentes da PF apenas acompanharam Oficial de Justiça na execução de buscas em endereço no Centro de Campo Grande. Todos os itens apreendidos já estão custodiados no Cartório Eleitoral. Ainda segundo a nota, a participação da PF no cumprimento do presente mandado foi apenas de garantir a segurança dos Oficiais de Justiça.

Fonte: Correio do Estado

 

A esposa do homem, que é mãe da criança, disse que o tiro foi acidental

Gerson Reinaldo da Silva, 44 anos, é suspeito de matar o próprio filho, um menino de 10 anos identificado como Vicente de Oliveira da Silva. A esposa do homem e mãe da criança alega que o tiro foi acidental.

O caso aconteceu na tarde desta quinta-feira (18), no assentamento São Pedro, em Sidrolândia, município distante aproximadamente 70 quilômetros de Campo Grande.

De acordo com o Sidrolândia News, o tiro foi de uma espingarda calibre 36 e atingiu o ouvido da criança, provocando a sua morte.

Quando os policiais chegaram ao local, a mãe de Vicente informou que seu esposo atingiu o filho acidentalmente.

Conforme o boletim de ocorrência, Gerson estava com a espingarda para mostrar para um amigo, quando acidentalmente, a arma disparou e atingiu menino. Com a gravidade do ferimento, Vicente não resistiu e morreu.

Por estar com um mandado de prisão em aberto, Gerson Reinaldo da Silva não permaneceu no local. A perícia foi acionada e esteve no local juntamente com o Delegado de Sidrolândia.

A espingarda foi apreendida e o corpo da criança transportado para o IML (Instituto Médico Legal) da cidade onde o caso aconteceu.

Fonte: Topmidianews

 

Pagina 5 de 19

Salvar

 

Template Settings

Theme Colors

Blue Red Green Oranges Pink

Layout

Wide Boxed Framed Rounded
Patterns for Layour: Boxed, Framed, Rounded
Top