Brasileirão 2018 (127)

Acertado desde dezembro com a nova administração do Flamengo, o técnico Abel Braga falou as primeiras palavras em sua volta ao clube depois de 15 anos na tarde desta quarta-feira, depois de começar os trabalhos com a nova comissão técnica do clube no Ninho do Urubu.

- A média de público recente mostra bem o tamanho desse clube. Qual o peso, a responsabilidade, e o desafio. Adoro desafios. Venho com fome. Poder dar algo mais ao Flamengo.

Abel assinou contrato por uma temporada e tem a missão de colocar o Flamengo novamente na rota dos títulos importantes. Desde a Copa do Brasil de 2013, o clube não tem uma conquista que acalme os seus torcedores.

- Tudo que o Flamengo precisa este ano está personificado na figura do Abel - afirmou o diretor de futebol Carlos Noval. - Queremos transformar essa estrutura em títulos, e o Abel é nosso carro chefe - completou o dirigente.

Abel Braga foi apresentado como técnico do Flamengo Abel Braga foi apresentado como técnico do Flamengo Foto: Divulgação
Abel foi logo questionado sobre os reforços que serão contratados para 2019. E pediu um pouco mais de paciência aos torcedores. Segundo ele, no entanto, é necessário que no clube haja mais identidade com a Nação por parte dos jogadores.

- O torcedor pode ter certeza que virão alguns jogadores. Posso sair daqui e o telefone tocar porque fulano acertou. Precisamos ter um pouco mais de identidade. O torcedor está tendo do lado de fora. Somos obrigados a ter uma identidade maior com a torcida - afirmou o novo treinador, confirmando que o vice de futebol Marcos Braz viajou para negociar a contratação de um jogador.

Sobre o meia Diego, Abel deixou claro que o Flamengo chegou a seu limite e aguarda o acordo financeiro.

- Tem contrato até o meio do ano depois fica livre. Havia uma proposta para o Diego. Conversamos com ele e estamos tentando um acordo para que prorrogue. Houve uma contraproposta. Aí meu limite termina. Meu limite em relação aos meus jogadores é dizer quem eu quero ou não quero. Quanto vai ganhar eu estou fora. Jogador que se identificou com o clube. É um cara de caráter, que se cuida muito, um dos motivos que o Flamengo está onde está se deve muito a ele - afirmou o treinador.

CONFIRA TRECHOS DA ENTREVISTA:

O que falta ao Flamengo?

No momento que tem que dar o salto alguma coisa não corre bem. Vamos ter que descobrir. Vou procurar, tentar, identificar e criar uma situação semelhante ao que acontece na arquibancada e no campo. Em 2004 senti isso na espinha. Quando criaram a música ˜Poeira”. Passei anos jogando contra e sei a dimensão que é.

Dedé

É um jogador que eu considero. Mito, o apelido. Dispensa comentário. Qualquer treinador quer. Adoraria ter na minha equipe. É unanimidade nacional. A gente sabe que se o Flamengo está tentando é porque está pensando grande. Mas é muito complicado.

Laterais do Flamengo

Nós precisamos de tudo. Houve interesses de outras equipes nos nossos laterais. Nós também conversamos sobre a possibilidade de sair um. Vou ter que quebrar a cabeça. Pego uma equipe quase montada. Barbieri, Dorival. Vou mudar pouco pela minha maneira de pensar. Se pudermos botar mais qualidade, não queremos trazer igual. Igual pega na base. De hoje até sexta-feira serão dias para se definir muita coisa. Precisamos de algo invisível que não se vê no campo.

Trauco

Em uma das conversas que tivemos, escutei coisas muito boas sobre o Trauco. Capacidade individual, passe e finalização, tudo. Quem sabe não pode ser usado no meio-campo, e não na lateral? Se ele prefere ir para o San Lorenzo, ele está liberado. Gosto de trabalhar com quem quer estar aqui.

Estrutura

Estou maravilhado. Treinamos no CT emprestado do Zico naquela época. É um clube diferente, que alcançou outro status. A grandeza e como chegou. Nada caiu de paraquedas. Pessoas pensaram de forma correta. Um CT que é fantástico.

Base

Alguns jogadores vão com a gente para os Estados Unidos. Vamos montar uma estratégia para jogos e treinos. Tentar fazer os primeiros jogos como continuidade da pré-temporada. É surreal treinar a partir do dia 3 e jogar 17 dias depois, 17h, em Bangu. Sabendo que tem mais de 70 jogos no ano. Não se prepara com 17 dias. Lancei aqui em 2005 o Ibson e o zagueiro Henrique. Esses garotos já tem a essência do clube. Já sabe muito melhor qual o peso dessa camisa. A base é a grande salvação. É o gasto que na frente dá lucro. Na equipe e na manutenção da estrutura. O clube necessita vender e tem que criar.

Tempo parado

Fiquei vendo futebol e repousando. Ver futebol é o estudo. Mas eu não sabia se viria para o Flamengo. Então valeu á pena. Vou voltar leve. Estou leve.

Prioridade de competições

Vamos priorizar sempre o próximo jogo, independente da equipe que estiver em campo. Foi cometido um erro esse ano passado. Não estava aqui. Quando se tentou colocar uma equipe titular desde o Estadual, Copa do Brasil e Brasileiro e Libertadores. Não suporta. O termo é esse. Ninguém prepara uma equipe para oitenta jogos em 17 dias. Nesse primeiro mês até fevereiro o torcedor vai ter que entender. Não vai ter na cabeça a equipe titular. Vai ter que rodar. É a maneira de fazer o cara treinar. Vai chegar na frente e pagar o preço.

Henrique Dourado

Dourado é um cara diferente. Grande homem, grande caráter. Me deu provas dessa qualidade inúmeras vezes. Terá a chance de tentar reverter. Porque reverteu uma vez. Dei sorte de ter sido comigo. Chegou e substituiu o maior ídolo do clube que era o Fred. Falei pra ele que naquele momento ele teria sempre oportunidades, no terceiro jogo deslanchou. Aqui não sei como vai ser. Lá ele precisava de carinho e uma palavra amiga, de conforto. Eu conhecendo o caráter e a personalidade, de conversa pessoal, se tornou peça fundamental. É uma liderança, com atitudes e não palavras. Ficarei feliz se ele repetir aquele ano. Teve proposta, mas está dentro do grupo e contamos com aquele Dourado de 2017.

Diego Alves

Conversei com o Diego. Falei que não queria me meter. Não aconteceu comigo. Pessoalmente, nunca conversei com ele, só por telefone. Isso foi resolvido. Ficou para trás. Não mancha as condutas das pessoas do lado de cá, nem a dele. Ele tem contrato, a princípio contamos com ele. Mas não me aprofundo, porque não participei do problema. Não me coloco de um lado ou outro. Jogador de seleção, muitos anos de Europa, vamos ver como vai transcorrer. Espero que seja da melhor maneira.

Rodrigo Caio

Rodrigo Caio é jogador de seleção, não teve um ano bom, por causa de lesões. Não houve problema médico com o Barcelona, que escolheu outro jogador. Ele vem de um clube pesado, já vestiu a amarelinha. Não tenho a menor dúvida que vai servir. Chega muito motivado. Aqui tem que pegar jogador não só com fome, mas que tenha qualidade.

Modelo de jogo

Da minha maneira é 433. Da maneira atual é 4141. Agora se muda. Tem que falar em transição. Não pode falar que é rápido na saída. Vou jogar com três atacantes. Vou tentar de tudo. Em relação a alguns jogadores vou pensar em função diferente. Tem que testar. A ideia é essa. Sempre foi meu modelo de jogo. Vê no Mundial contra o Barcelona foi com Pato, Fernandão e Iarley no Inter.

Fonte: Extra

 

Confira os clubes que foram rebaixados e os que se classificaram para a Libertadores e Copa Sul-Americana

Chega ao fim o Campeonato Brasileiro de 2018, neste domingo (2), com o Palmeiras como campeão. Hoje, apesar de o título já estar definido desde a semana passada, não faltaram emoções pelo Brasil.

Além das definições das últimas vagas para a Copa Libertadores da América e para a Copa Sul-Americana de 2019, também foram definidos os últimos dois rebaixados: Sport, no 17° lugar com 42 pontos, e América-MG, no 18° com 40.

Eles se juntaram ao Vitória e ao Paraná, que terminaram a competição na 19° e 20° colocação, respectivamente. Os quatro estarão na Série B de 2019.

A quarta vaga direta na Libertadores ficou com o Grêmio que bateu o Corinthians por 1 a 0, na Arena do Grêmio. O Tricolor gaúcho termina a competição na quarta posição com 66 pontos, três a mais do que o São Paulo, que ficou em quinto e vai disputar a eliminatória da Libertadores para entrar na fase de grupos do torneio. O Atlético-MG, sexto colocado, ficou com a outra vaga da pré-Libertadores.

O campeão Palmeiras, o Flamengo, que terminou em segundo lugar, e o Internacional, em terceiro, já haviam garantido presença na competição.

Para a Sul-Americana, o sétimo colocado Atlético-PR (57 pontos), o nono Botafogo (51), o décimo Santos (50), o 11° Bahia (48), o 12°Fluminense (45), e o 13° Corinthians (44) foram os classificados para a competição do ano que vem.

Finalista da atual edição do torneio, caso o Furacão seja campeão, ganhará uma vaga na Libertadores. Com isso, a Chapecoense, que terminou em 14° ao somar 44 pontos, herdará a classificação para a Sul-Americana de 2019.

Ameaçados, Chapecoense, Fluminense e Vasco escaparam da degola. O time catarinense bateu o São Paulo por 1 a 0, na Arena Condá. O Tricolor carioca também fez o seu dever de casa no Maracanã e venceu o América-MG, pelo mesmo placar. Enquanto o Cruzmaltino ficou no empate sem gols com o Ceará, no Castelão, e terminou a 16ª posição com 43 pontos. O Leão pernambucano até que fez sua parte no último jogo, ganhando do Santos por 2 a 1, na Ilha do Retiro. Porém, não conseguiu a pontuação necessária para escapar do descenso.

Fonte: Noticias ao minuto

 

O que era para ser uma noite de celebração virou um tremendo mico no Maracanã. A despedida de Paquetá e até a do próprio Flamengo diante de sua torcida na temporada ficaram de lado. Sem a mesma pegada dos jogos anteriores, os rubro-negros foram envolvidos pelo Atlético-PR, que conseguiu uma virada por 2 a 1 e fez com que a festa terminasse com um “climão”.

Teve uma expulsão desnecessária de Willian Arão, gritos de “time sem-vergonha” por parte da torcida e até xingamentos ao presidente Eduardo Bandeira de Mello, que ensaia sua despedida do cargo. Detalhe: o público de 66.046 presentes marcou o recorde do Brasileiro. Os planos dos rubro-negros definitivamente não saíram como previstos.

Apesar do tropeço, nada mudou para o Flamengo na classificação. Com 72 pontos, o time já não poderia ser alcançado por ninguém que vem de trás. Agora, só volta a jogar no ano que vem. As férias dos jogadores começam hoje mesmo.

Na pré-temporada, já não haverá mais Lucas Paquetá. A nostalgia tomou conta do meia ao longo de toda a noite. Durante o hino nacional, antes da partida, ele já não conseguiu controlar a emoção e chorou. Após o apito final, a cena se repetiu.

— Vou sentir muita saudade do flamengo. Vestir essa camisa é sempre uma coisa muito especial na minha vida. Foi o que batalhei para conquistar — disse o atleta, vendido ao Milan.

A emoção, por sinal, pareceu ter atrapalhado Paquetá em campo. Embora tenha participado de algumas das principais jogadas do Flamengo, atou aquém do se espera dele. Algo que se pode dizer de todo o time. Os rubro-negros entraram mal, mas tiveram as melhores chances do primeiro tempo e foram para o intervalo com o 1 a 0 (gol de Rhodolfo). Mas, com a entrada de Lucho González e Pablo, o Furacão deu um nó nos donos da casa, que pareciam mais interessados em entrar logo de férias. O fim de temporada poderia ter sido mais digno.

Fonte: Extra.globo

 

O Flamengo terá casa lotada no último jogo da temporada de 2018. A torcida esgotou os quase 60 mil ingressos disponíveis para o duelo contra o Atlético-PR, neste sábado, às 19h (de Brasília), no Maracanã, pela última rodada do Campeonato Brasileiro, na manhã desta sexta-feira, véspera do confronto.

A carga total é de 68.228, com 59.039 colocados à venda. O clube prevê recorde de pagantes e presentes na temporada.

A partida deste sábado vale mais para o adversário, que ainda busca uma vaga na Libertadores. Com os resultados da penúltima rodada, o Flamengo terminará o Brasileiro invariavelmente na segunda posição.

AInda vai marcar a despedida de Lucas Paquetá do Flamengo, que assinou com o Milan e irá se apresentar ao novo clube em janeiro de 2019. Depois de ser barrado no último jogo diante do Cruzeiro, ao retornar de suspensão, Paquetá entra na vaga de Vitinho, lesionado, no último jogo do Brasileiro.

Ele foi comprado pelo clube italiano por 35 milhões de euros (cerca de R$ 150 milhões), e o Flamengo, detentor de 70% dos direitos do atleta, pretende usar a verba para se reforçar para 2019.

Fonte: Extra.globo

 

Desde que Muricy Ramalho aceitou comandar o Flamengo, na renovação de mandato da atual diretoria, em 2016, o Flamengo não começa uma temporada com a primeira opção de treinador. A negativa de Renato Gaúcho, que nesta quinta-feira confirmou a renovação com o Grêmio, é mais um episódio que ilustra a dificuldade de planejamento para este cargo no clube. Mesmo com eleição nos próximos dias, o plano A das duas chapas favoritas naufragou. Abel Braga é o plano B, especialmente da oposição, e Dorival Júnior é reconsiderado e reavaliado pela situação.

O caso remonta ao fim de 2015, quando houve a promessa de que Jorge Sampaoli estava fechado com a chapa de Wallim Vasconcellos. Com a doença cardíaca de Muricy Ramalho, Zé Ricardo assumiu como interino e emplacou 2017. No no fim do ano passado, Rueda o substituiu, mas não seguir em 2018 ao optar pela seleção do Chile. O Flamengo começou a atual temporada com Carpegianni, que seria coordenador de futebol.

Este deu lugar ao novo interino, Barbieri, que foi sucedido por Dorival Júnior novamente em fim de temporada. O atual treinador, contudo, não era nem o plano B. Estava atrás de Renato e Abel. Agora, voltou a ser levado em conta, uma vez que Abel tem certa resistência de parte da torcida.

A frustrante negativa de Renato Gaúcho anulou a decisão das chapas de Ricardo Lomba e Rodolfo Landim sobre o treinador. Ambos davam o acordo como certo. Mas o uso político da possível contratação e a falta de autonomia pesaram para o treinador renovar com o Grêmio. Portaluppi preferiu manter-se próximo a uma diretoria em que confia e tem carta branca.

O técnico sabia que se ficasse manteria toda sua comissão técnica. E se viesse teria que trazer apenas seu auxiliar, Alexandre Mendes. A questão financeira não foi decisiva. O Grêmio conseguiu chegar próximo da contrapoposta feita por Renato, e o acordo foi selado, com promessa de reforçar ainda mais a equipe pelo presidente Romildo Bolzan, que tem mais um ano de mandato.

No Flamengo, o candidato da chapa rosa Ricardo Lomba não chegou a descartar publicamente a permanência de Dorival Junior por entender que ele pode ser uma opção de longo prazo se houver uma melhor gestão do elenco, para evitar problemas como o que o goleiro Diego Alves protagonizou. Com esse ajuste, o trabalho e os resultados pesam a favor. Por sua vez, Abel Braga, que já foi procurado ao longo da temporada e negou os convites, é opção.

Os membros da chapa roxa de Rodolfo Landim também não descartaram a permanência do atual treinador, mas há ressalvas. Até algumas semanas atrás, havia conversas mais adiantadas com Abel Braga, que devem ser retomadas em breve. A oposição chegou a fazer uma pesquisa junto a sócios nos últimos dias para saber quem eram os treinadores preferidos. Nela, citou Abel, Renato, Dorival e Vanderlei Luxemburgo. Este último, porém, tem poucas chances de retornar. A verdade é que o Flamengo começará 2019 sem o treinador dos sonhos. A eleição que decide o novo presidente é dia 8 de dezembro.

Fonte: Extra.globo

 

A partida contra o Vitória, no próximo domingo (2), no Allianz Parque, será marcada pela entrega da taça ao time

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), foi convidado para assistir do estádio ao último jogo do Palmeiras no Campeonato Brasileiro. A partida contra o Vitória, no próximo domingo (2), no Allianz Parque, será marcada pela entrega da taça ao time decacampeão nacional.

O Palmeiras separou um camarote do Allianz para Bolsonaro, assessores e segurança. O esquema para garantir a chegada e a saída do presidente eleito também já está garantido.

Bolsonaro foi ao estádio recentemente e tirou foto com Felipe Melo nos vestiários do estádio palmeirense. O volante sempre se declarou um apoiador das ideias do futuro presidente e já até dedicou um gol a ele. Na entrevista coletiva após o título, o técnico Luiz Felipe Scolari também citou o político indiretamente: "Espero que nosso Brasil cumpra ordens sob nossa nova presidência", frisou o técnico.

Fonte: Noticias ao minuto

 

Cariocas precisam de combinação de resultados para terminar o Brasileirão na zona da degola

O fantasma do rebaixamento ainda assombra cinco equipes neste Campeonato Brasileiro. Entre os clubes ameaçados, dois são do Rio de Janeiro: Vasco e Fluminense. Os rivais caíram juntos em 2013, mas só não se enfrentaram na Série B porque o Tricolor das Laranjeiras conseguiu reverter a queda no tapetão, levando a Portuguesa para a Série B.

De acordo como site InfoBola, do matemático Tristão Garcia, o Vasco tem 17% de chances de terminar o Campeonato Brasileiro na zona da degola enquanto a possibilidade do Fluminense é de 5%.

Para o rebaixamento dos dois clubes cariocas, o Gigante da Colina precisa perder para o Ceará em Fortaleza e o Fluminense cair para o América-MG, que é um rival direto, no Maracanã.

Além disso, a Chapecoense tem que derrotar o São Paulo na Arena Condá e o Sport golear o Santos na Ilha do Retiro, já que a equipe pernambucana precisa tirar uma diferença de oito gols para o Flu e 16 para o Vasco.

Para se salvar do 4º rebaixamento da história, o Vasco precisa vencer. Se ficar no empate com o Ceará, o time comandado por Alberto Valentim precisa que um desses dois resultados ocorra: Chapecoense não vença o São Pulo ou que o América-MG não ganhe do Fluminense. Em caso de derrota, a equipe precisa torcer para dois desses três placares: Chape e/ou América e/ou Sport não vençam os seus jogos.

Já a situação do Fluminense é mais tranquila. A equipe fica na Série A com uma vitória ou empate na última rodada. Caso acabe superado pelo América-MG, o Flu vai torcer para um desses resultados: derrota do Vasco ou que a Chape não vença o São Paulo.

Fonte: Noticias ao minuto

 

Nenê perdeu um pênalti no segundo tempo e saiu de campo vaiado quando foi substituído

Pela segunda rodada consecutiva, o São Paulo não consegue aproveitar a oportunidade de retornar ao G4 do Campeonato Brasileiro. Nesta segunda-feira (26), empatou em 0 a 0 com o Sport, no Morumbi, e se manteve na quinta colocação com a mesma pontuação do Grêmio: 63 pontos. Os gaúchos, que só conquistaram um ponto nas últimas duas rodadas, levam vantagem no número de vitórias (17 contra 16).

O empate com os pernambucanos marcou a primeira partida de André Jardine como técnico efetivado do São Paulo. Desde que o ex-interino assumiu o comando com a demissão de Diego Aguirre, o treinador tem dois empates, uma vitória e uma derrota.

Nesta segunda, a equipe tomou a iniciativa e tentou ir para cima do Sport. Contudo, parou no forte bloqueio montado pelo adversário.

O time pernambucano colocava todos os seus homens atrás da linha da bola e povoava a frente da própria área, bloqueando a entrada e forçando o São Paulo a ir para os lados do campo e alçar a bola em busca de Diego Souza.

No fim da partida, André Jardine chegou a ter todos os seus jogadores presentes no campo de ataque, tentando uma última solução.

Aos 27 minutos da etapa final, surgiu a grande chance de abrir o placar. Everton foi derrubado na grande área e o árbitro marcou pênalti. Nenê foi para a cobrança, bateu no meio do gol e perdeu para a defesa de Maílson.

Já no final, Jardine substituiu Nenê, que saiu bastante vaiado de campo. As vaias voltaram a aparecer após o apito final, dessa vez direcionadas ao time e à diretoria.

"Não é mole não, estou cansado de time amarelão", foi o grito das arquibancadas.

Na última rodada, o clube do Morumbi enfrenta a Chapecoense, que assim como Sport e Vasco, para quem o São Paulo perdeu na rodada anterior, briga contra o rebaixamento.SÃO PAULO

Jean; Araruna (Igor Gomes), Arboleda, Bruno Alves, Reinaldo; Jucilei, Liziero, Nenê (Trellez); Helinho (Antony), Diego Souza, Everton. T.: André Jardine

SPORT

Mailson; Claudio Winck, Adryelson, Ernando, Raul Prata; Marcão (Deivid), Jair, Michel Bastos (Hernane), Gabriel, Mateus Gonçalves; Matheus Peixoto (Marlone).

T.: Milton MendesEstádio: Morumbi, em São Paulo

Juiz: André Luiz de Freitas Castro (GO)

Público e renda: 15.235 pessoas; R$ 199.006,52

Cartões amarelos: Reinaldo, Jean (São Paulo); Mateus Gonçalves, Jair, Matheus Peixoto (Sport)

Cartão vermelho: Claudio Winck (Sport)

Com informações da Folhapress.

Fonte: Noticias ao minuto

 

O Palmeiras conquistou o seu décimo título brasileiro. Neste domingo (25), a equipe venceu o Vasco por 1 a 0, em Januário, pela 37ª rodada do Campeonato Brasileiro. O único gol do jogo foi marcado pelo atacante Deyverson no segundo tempo.

Com o resultado, o time alviverde não pode ser mais alcançado pelo Flamengo, vice-líder, que venceu o Cruzeiro por 2 a 0, no Mineirão. Faltando apenas um jogo para terminar a competição, o clube paulista tem 77 pontos –cinco a mais do que o rival.

O Palmeiras receberá o troféu no próximo domingo (2), quando recebe o Vitória, no Allianz Parque.
A taça é a segunda do Palmeiras com a fórmula de pontos corridos do Brasileiro -ganhou em 2016–, e se soma a dois títulos da Taça Brasil (1960 e 1967), dois do Torneio Roberto Gomes Pedrosa (1967 e 1969) e quatro outros Brasileiros (1972, 1973, 1993 e 1994). Em 2010, a CBF unificou as conquistas dos torneios nacionais realizados na década de 1960 com as do Campeonato Brasileiro, batizadoassim a partir de 1971.

Assim, o Palmeiras amplia sua vantagem para o Santos Santos, que tem oito.
A conquista do título brasileiro de 2018 era algo imaginável pelos palmeirenses há quatro meses, quando o time perdeu para o Fluminense por 1 a 0 e viu sua distância para o até então líder Flamengo aumentar para oito pontos.

Na oportunidade, a diretoria demitiu Roger Machado e foi buscar Luiz Felipe Scolari, especialista em torneios mata-mata, para tentar salvar a temporada com a conquista da Copa do Brasil e/ou Copa Libertadores, que era a grande obsessão. Ele parou na semifinal nas duas competições.

Felipão colocou o Palmeiras na liderança 56 dias após fazer sua estreia pela equipe alviverde, que foi justamente diante do América-MG. Ele assumiu a ponta na 27ª rodada e não perdeu mais.
A equipe assumiu a primeira colocação contando também com tropeços de Flamengo, São Paulo e Internacional, três dos sete times que foram líderes do torneio -recorde desde 2006, quando o Brasileiro passou a ser disputado por 20 clubes no formato de pontos corridos.

No total, Felipão obteve 51 dos 70 conquistados pelo Palmeiras. O aproveitamento do treinador no Brasileiro é de 80,9%

A vitória diante do Vasco também fez o clube paulista completar 22 jogos de invencibilidade e aumentar ainda mais o recorde nos pontos corridos. Até então, a melhor marca era do Corinthians, que ficou 19 partidas sem perder na temporada passada.

O troféu conquistado neste domingo é o terceiro do clube no Allianz Parque desde 2014, quando o estádio foi reinaugurado. Antes, havia conquistado a Copa do Brasil de 2015 e o Nacional de 2016.

Os troféus coincidem com a chegada da Crefisa, que investe quase R$ 80 milhões por ano no Palmeiras, o que possibilita a montagem de um elenco forte e com peças de reposição, o que foi fundamental para a conquista do título.

Um dos motivos que levaram o clube ao título do Brasileiro foi justamente a força do seu elenco. Felipão alterou muito o time de um jogo para outro.

Neste domingo (25), ele mexeu pouco em relação ao time que venceu o América-MG na última quarta-feira. Desta vez, colocou o volante Felipe Melo e o lateral esquerdo Barbosa nos lugares de Thiago Santos e Victor Luís.

O time, porém, não demonstrou o mesmo ímpeto do jogo anterior. Não marcava sob pressão e ainda contava com Lucas Lima sem inspiração no setor de armação. Assim, só criou uma única chance na etapa inicial em um chute de Bruno Henrique, que passou perto do gol de Fernando Henrique.

Já o Vasco foi melhor. O clube carioca explorava as costas justamente de Diogo Barbosa e criou boas oportunidades. A melhor delas, Andrey desperdiçou parou em Weverton.

Com o Flamengo vencendo o Cruzeiro, o que adiava a definição do título para a última rodada, o Palmeiras voltou marcando mais no campo de ataque na etapa complementar. Com isso, melhorou e passou a rondar a área adversária, mas insistia nas jogadas aéreas.

Felipão fez duas alterações. Ele tirou Borja e Lucas Lima para as entradas de Deyverson e Gustavo Scarpa. Melhor em campo, o Palmeiras chegou ao gol com a participação de Dudu, o melhor jogador da equipe na competição.

Aos 29 minutos, o camisa sete enfiou para Willian, que se esticou e conseguiu tocar para Deyverson completar para a rede e marcar o único gol da partida.

Logo após o gol, Willian saiu machucado e Felipão colocou o volante Willian para segurar o resultado. O Palmeiras segurou a pressão do rival e conquistou o seu décimo título.

VASCO
Fernando Miguel; Luiz Gustavo, Werley, Leandro Castán e Henrique (Willian Maranhão); Desábato (Raul), Andrey e Thiago Galhardo; Yago Pikachu, Kelvin (Marrony) e Maxi López.
T.: Alberto Valentim


PALMEIRAS
Weverton; Mayke, Luan, Gustavo Gómez e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Lucas Lima (Gustavo Scarpa); Willian (Jean), Dudu e Borja (Deyverson).
T.: Luiz Felipe Scolari

Árbitro: Rafael Traci (PR)
Assistentes: Ivan Carlos Bohn e Rafael Trombeta (PR)
Público/Renda: 21.066 pagantes e 21.966 presentes/R$ 596.810,00
Cartões amarelos: Desábato, Leandro Castán, Andrey e Andrés Ríos (Vasco); Felipe Melo, Bruno Henrique, Gustavo Gómez, Deyverson e Jean (Palmeiras)
Cartão vermelho: Yago Pikachu (Vasco)
Gol: Deyverson, aos 26 minutos do segundo tempo.

Fonte: Correio do Estado

Rubro-Negro bate o Grêmio, mantém distância de cinco pontos e impede festa alviverde no Allianz Parque

O Palmeiras entrou em campo com nesta quarta-feira chance de soltar o grito de campeão, mas ainda não conseguiu confirmar a conquista do Campeonato Brasileiro.

O Verdão até fez sua parte e goleou o América-MG por 4 a 0 no Allianz Parque, mas o Flamengo derrotou o Grêmio por 2 a 0 no Maracanã e manteve cinco pontos de vantagem para o líder restando agora duas rodadas para o fim. O Inter deu adeus às chances de título ao ser derrotado pelo Atlético-MG por 2 a 1 no Beira-Rio.

Depois de perder muitas chances no primeiro tempo, uma delas com Borja praticamente sem goleiro, o Palmeiras desencantou na etapa final e balançou a rede com Luan, Willian, Dudu e Deyverson.

Já no Maracanã, Uribe abriu o placar da vitória rubro-negra em lance polêmico no segundo tempo. O atacante colombiano levantou demais o pé e atingiu Cortez na finalização, mas o árbitro mandou seguir. No fim, Diego deu números finais.

Para confirmar o título no domingo sem depender de outros resultados, o Palmeiras precisa vencer o Vasco em São Januário. A conquista pode vir até com empate ou derrota, desde que o Flamengo não vença o Cruzeiro no Mineirão.

Fonte: Band

Pagina 1 de 10

Salvar

 

Template Settings

Theme Colors

Blue Red Green Oranges Pink

Layout

Wide Boxed Framed Rounded
Patterns for Layour: Boxed, Framed, Rounded
Top