Redação

Um homem de 51 anos foi preso, nesta terça-feira (18) suspeito de ter estuprado uma menina de apenas 6 anos em uma fazenda de Rio Brilhante, município que fica a 163 quilômetros de Campo Grande.

A irmã da vítima de 13 anos é quem teria flagrado a criança e o homem embaixo de uma coberta na residência do suspeito. À mãe a menina disse que o suspeito havia passado a mão nela. De acordo com o delegado Guilherme Sariam, responsável pelo caso o homem era vizinho da família da vítima.

A mãe da criança teria pedido à filha que fosse até a casa do homem levar alguns pertences. Mas devido a demora para retornar para a casa a outra adolescente foi até a residência buscar a irmã e flagrou o abuso.

O Conselho Tutelar foi acionado pela família em seguia, assim como a polícia que a encaminhou para exame de corpo de delito e acompanhamento psicológico. A prisão preventiva do suspeito também já foi decretada por estupro de vulnerável, conforme o Rio Brilhante em Tempo Real. Ele admitiu que estava com a criança embaixo do cobertor, mas que não havia feito nada.

Fonte: Campo Grande News

Pesquisa Ibope divulgada nesta terça (18) mantém Jair Bolsonaro (PSL) na liderança da corrida presidencial, mas com Fernando Haddad se consolidando em segundo lugar, se distanciando de Ciro Gomes (PDT).

O capitão reformado tem 28%, enquanto o petista subiu 11 pontos em relação ao levantamento anterior do Ibope e agora aparece com 19%. O pedetista aparece em terceiro, com 11%, mesmo índice da última pesquisa. Em seguida, tecnicamente empatados, estão Geraldo Alckmin (PSDB), com 7%, e Marina Silva (Rede), com 6%.

A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

No pelotão seguinte aparecem empatados com 2% Alvaro Dias (Podemos), João Amoêdo (Novo) e Henrique Meirelles (MDB). Cabo Daciolo (Patriota) tem 1%, enquanto Guilherme Boulos (PSOL), João Goulart Filho (PPL), Vera (PSTU) e Eymael (DC) não pontuaram na pesquisa.

Brancos e nulos somam 14%, enquanto 7% não sabem em quem vão votar.

O Ibope ouviu 2.506 eleitores em 177 cidades brasileiras nos dias 16, 17 e 18 de setembro.

O nível de confiança é de 95%. A pesquisa foi contratada pelo jornal O Estado de S. Paulo e pela TV Globo.
A pesquisa está registrada no TSE com o número BR-09768/2018.

Fonte: Folha press

O general Hamilton Mourão (PRTB), candidato a vice na chapa de Jair Bolsonaro (PSL) nas eleições 2018, disse nesta segunda-feira, 17, que a diplomacia “Sul-Sul” exercida durante os governos petistas aproximou o País de uma “mulambada”. Ele voltou a defender uma reforma da Constituição, “a mãe de todas as reformas” e, ao falar de segurança, disse que famílias sem pai e avô em áreas pobres são “fábrica de elementos desajustados.”

Adotando um tom presidencial, o candidato a vice discursou por cerca de uma hora para empresários e representantes da construção civil, em evento promovido pelo Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi-SP) com outras 21 entidades, que se reuniram num grupo chamado Reformar Para Mudar. Em sua fala, Mourão citou apenas uma vez Bolsonaro, que continua internado no Hospital Albert Einstein se recuperando da facada que tomou há duas semanas. “Bolsonaro é um estadista, não pensa apenas nesta eleição, mas sim nas próximas gerações”, declarou.

O candidato a vice também reclamou da forma como as forças policiais brasileiras são criticadas caso ajam “como polícia”. “Temos que lembrar que direitos humanos são para humanos direitos”, disse o general. “Nosso aparato de segurança pública, se a polícia age como polícia, é duramente criticada: é o genocídio, o martírio da população brasileira. É trabalho enfrentar isso daí”, disse o general, que foi aplaudido pela plateia.

O general da reserva atacou a crise dos costumes e defendeu a instituição família como base social e da prevenção do aliciamento para o tráfico. “A partir do momento em que a família é dissociada, surgem os problemas sociais. Atacam eminentemente nas áreas carentes, onde não há pai e avô, mas sim mãe e avó, por isso é fábrica de elementos desajustados que tendem a ingressar nessas narcoquadrilhas”, criticou.

Mourão foi aplaudido outras duas vezes enquanto discursava, ambas ao defender o livre mercado e a iniciativa privada.

Na área econômica, Mourão defendeu a responsabilidade fiscal, as reformas da Previdência e tributária e também a privatização das áreas de refino e distribuição da Petrobrás. Repetindo as declarações ditas na semana passada, o candidato a vice defendeu ainda que a reforma da Constituição é a “mãe de todas as reformas”, uma vez que ela está desatualizada, apesar das muitas emendas que sofreu. Ele também pregou o estabelecimento de mandatos para as agências reguladoras, com o objetivo de impedir que a “macacada” as use como cabide de empregos.

Mourão defendeu ainda o voto distrital para pôr fim à crise político-partidária que o País vive e prometeu trabalhar para desburocratizar o Estado brasileiro, que julga ser caro, corporativista e com abertura para determinados grupos de servidores, que têm “valorização assimétrica”.

Após o evento, Mourão foi questionado por jornalistas sobre as declarações em relação à política externa dos governos petistas, que priorizou os países em desenvolvimento. “Era apenas para o auditório ficar mais satisfeito”, minimizou, “Não eram os países que trariam o retorno do investimento que fizemos neles.”

Fonte: Midiamax

Na ânsia de criticar a administração, o juiz mentiu sobre o desempenho do Estado na Educação

O candidato do PDT ao Governo do Estado, Odilon de Oliveira, apresentou dados falsos sobre educação em entrevista ao jornal Correio do Estado, nesta terça-feira (18), e disse que vai acabar com o programa Caravana da Saúde.

Na ânsia de criticar a administração de Reinaldo Azambuja, o juiz mentiu sobre o desempenho do Estado na Educação. “O Sistema de Avaliação da Educação Básica [Saeb] publicou recentemente uma pesquisa sobre todos os estados e Mato Grosso do Sul é o terceiro pior em educação. Nada vai pra frente sem educação e Mato Grosso do Sul só perde para o estado do Pará e do Amazonas. Isso é uma grande vergonha”, disse.

Na verdade, em Língua Portuguesa, Mato Grosso do Sul obteve resultado acima da média nacional em todas as séries avaliadas e em Matemática o desempenho dos alunos sul-mato-grossenses também ficou acima em duas das três séries avaliadas (alunos do 9º ano e da 3ª série do ensino médio). Os dados são públicos e podem ser acessados por qualquer um no endereço: http://download.inep.gov.br/educacao_basica/saeb/2018/documentos/presskit_saeb2017.pdf

O Saeb é um processo de avaliação que mede níveis de aprendizagem em Língua Portuguesa e Matemática. Os resultados de aprendizagem dos estudantes, apurados no Saeb; juntamente com as taxas de aprovação, reprovação e abandono, apuradas no Censo Escolar; compõem o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

E no Ideb, que é o principal indicador da qualidade de ensino no País, o desempenho positivo de Mato Grosso do Sul na educação também foi confirmado. As escolas da rede pública estadual avançaram em todas as etapas da educação: anos iniciais do Ensino Fundamental (4ª série e 5° ano), anos finais do Ensino Fundamental (8ª série e 9° ano) e Ensino Médio (3° ano).

Caravana

Odilon também aproveitou o espaço cedido pelo jornal para atacar o maior programa de saúde de Mato Grosso do Sul. Ele chamou a Caravana da Saúde de “enganação”, “ilusão” e “perda de tempo” e afirmou que vai acabar com o projeto. “A população viveu de ilusão, como se fosse um circo, um mágico ilusionista”, disse.

“Ela [a Caravana] pode até ser mantida provisoriamente, mas terá que se submeter a uma auditoria. Não posso desarticular assim que tomar posse, mas tudo será feito para isso.”, declarou.

Além da reestruturação da saúde por meio da compra de equipamentos e reforma, reestruturação e construção de hospitais, a Caravana da Saúde, feita por Reinaldo Azambuja, reduziu a fila da vergonha realizando mais de 500 mil atendimentos, 60 mil cirurgias, 150 mil consultas e 10 mil exames de alta complexidade.

Fonte: Topmidianews

Um homem de 29 anos foi preso por desacato na tarde desta terça-feira (18) após perceber que sua moto seria guinchada, em Jardim a 238 quilômetros de Campo Grande. Durante a ocorrência o motociclista disse aos policiais que é um cidadão de bem, mas que assim que Bolsonaro for eleito irá andar armado e ‘aí a polícia vai se ver com ele’.

Conforme o boletim de ocorrência, por volta das 12h00 a Polícia Militar foi acionada para atender uma ocorrência de trânsito. No momento em que o dono do veículo ficou sabendo que a moto seria recolhida ele começou a ofender os policiais.

O autor teria dito que ‘boca de fumo polícia não fecha’ e feito ameaças dizendo que a polícia iria se ver com ele assim que o candidato Bolsonaro fosse eleito presidente da República. O motociclista também queria que os policiais o levassem até em casa, já que sua moto tinha sido apreendida.

 

Como o homem não se acalmou e continuou ameaçando os PM’s, foi dada voz de prisão, momento em que, segundo os policiais, ele ficou ainda mais agressivo e foi preciso algemá-lo e imobiliza-lo a força.

Na delegacia o homem negou que tivesse resistido à prisão ou ameaçado os policiais. Ele disse que apenas fez um desabafo dizendo que era trabalhador e não merecia ter a motocicleta apreendida.

Fonte: Midiamax

Pagina 1 de 1008

Salvar

Template Settings

Theme Colors

Blue Red Green Oranges Pink

Layout

Wide Boxed Framed Rounded
Patterns for Layour: Boxed, Framed, Rounded
Top