Redação

Cerca de 40.000 casos de estupro são denunciados por ano na Índia, segundo as estatísticas oficiais

O governo indiano aprovou neste sábado (21/4) a pena de morte para estupradores de crianças depois da recente violação coletiva e assassinato de uma menina de 8 anos, um caso que abalou o país.

O primeiro-ministro indiano Narendra Modin, tão logo voltou de uma reunião da Comunidade Britânica, se reuniu neste sábado com seu gabinete e aprovou uma emenda à lei sobre violências sexuais que permite condenar à pena capital estupradores de crianças menores de 12 anos.

Da mesma forma, as penas mínimas por estupro foram aumentadas. Milhares de indianos se mobilizaram nos últimos dias em todo o país depois que uma menina de uma tribo muçulmana nômade foi sequestrada por cinco dias, estuprada e assassinada por oito homens no estado de Jammu e Caxemira (norte).

Segundo a polícia, o crime procurava aterrorizar a comunidade de pastores muçulmanos dos bakarwals para forçá-los a deixar a área, de maioria hindu.

Atualmente, a lei indiana prevê a pena de morte para os assassinatos mais atrozes e para atos terroristas, embora as execuções sejam raras.

Fonte: Correio Brasiliense

Segundo a Polícia Militar, ele raptou a vítima e se dirigiu a uma área de mata, onde seu carro ficou preso em um buraco

O prefeito em exercício de Bariri (SP), Paulo Henrique Barros de Araújo (PSDB), foi preso neste sábado (21/4) sob acusação de violência sexual contra uma menina de 8 anos. As informações foram divulgadas pelo SPTV e confirmadas pela Agência Estado.

Segundo a Polícia Militar, ele raptou a vítima e se dirigiu a uma área de mata, onde seu carro ficou preso em um buraco. A menina deixou o carro à pé e pediu socorro. Quando os agentes chegaram, ele tentava se esconder no meio do mato.

Bariri tem 35 mil habitantes e fica a 300 quilômetros da capital paulista. A investigação é conduzida Central de Polícia Judiciária, em Bauru, próxima do município.

O tucano, que é presidente da Câmara Municipal, está no cargo como interino desde o início de 2017, quando o ex-prefeito e o vice da cidade foram barrados na Lei da Ficha Limpa após as eleições de 2016, em que se sagraram vencedores.

A reportagem não obteve retorno da defesa do prefeito e nem do partido. A Prefeitura também não se manifestou.

Fonte: Correio Brasiliense

Caso está envolto em muitos mistérios e foi denunciado pelo próprio prefeito

A morte do menino indígena identificado como Jadson, de apenas dez anos, ocorrida justamente no Dia do Índio, na Aldeia Porto Lindo, em Japorã, no extremo sul de Mato Grosso do Sul, está envolto de muito mistério. A informação partiu do prefeito da cidade, Vanderlei Bispo.

Conforme narrado pelo prefeito, Jadson estava em casa, com os pais, quando teve um mal súbito. “Imediatamente o pai desesperadamente pediu socorro a Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI)”, disse o prefeito, acrescentando que as ambulâncias não estavam na aldeia.

Bispo narra que “com o filho os braços o pai correu em direção ao município vizinho, Iguatemi. Vários veículos passaram por ele, mas ninguém parou”. Segundo o prefeito o pai de Jadson foi socorrido depois por um dos coordenadores pedagógicos da Secretaria de Educação da Prefeitura de Japorã.

Na manhã da última quinta-feira (19), conforme relato do prefeito, a criança foi velada com caixão lacrado na Casa de Reza do cacique Rosalino. Como o caixão estava lacrado os pais do menino pediram para que a urna funerária fosse aberta.

“O pai abriu o caixão e o que se viu foi uma cena macabra”, relatou Bispo. Segundo o prefeito a criança que tinha morrido de “mal súbito” estava com o crânio cortado e exposto e o corpo sequer foi preparado para o velório e dentro de um saco plástico, dentro do caixão estavam pedaços do cérebro e outras vísceras. “Um verdadeiro descaso”, reclamou o prefeito.

O pai da criança disse que o agente funerário afirmou que o caixão veio lacrado para o velório por recomendação do médico legista e em hipótese nenhuma deveria ser aberto. O caso ainda não foi registrado na polícia e o chefe da Coordenação Regional de Ponta Porã, Elder Paulo Ribas da Silva, foi procurado pelo Correio do Estado, através do telefone que não atendia as ligações.

Fonte: MSNews

Processos vão de crimes políticos investigados pela Lava Jato, a agressões verbais e infrações de trânsito

Os pré-candidatos ao Planalto nas eleições deste ano somam 160 investigações em tribunais. Os motivos são os mais diversos e vão desde infratores de trânsito a condenados políticos, como é o caso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que está preso e lidera as pesquisas eleitorais.

Como apurado pela Folha de S. Paulo em matéria divulgada neste domingo (22), a Operação Lava Jato, derivações e outras investigações de desvio atingem ao menos oito presidenciáveis: o ex-presidente Lula (PT) — condenado a 12 anos e um mês —, o presidente Michel Temer (MDB) — alvo de duas denúncias e de duas investigações —, o senador e ex-presidente Fernando Collor (PTC) — réu na Lava Jato e alvo de outros quatro inquéritos — e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), investigado em dois inquéritos também da Lava Jato.

A prisão de Lula pode inviabilizar a sua candidatura, mas o PT afirma que fará o registro do ex-presidente na disputa. O ex-presidente tem 31% das intenções de voto.

No caso de Lula não poder ser candidato, cogita-se nos bastidores substituí-lo pelo ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad ou o ex-governador da Bahia Jaques Wagner. Haddad tem uma investigação aberta por suposto caixa dois e Wagner foi alvo da Operação Cartão Vermelho, que apura suspeita de propina na reforma da Arena Fonte Nova.

Já o possível candidato do PSDB, o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin está sendo investigado pela Justiça Eleitoral e o Ministério Público de São Paulo afirmou na sexta-feira (20) que vai investigá-lo sobre possível improbidade administrativa e recebimento de caixa dois de mais de R$ 10 milhões nas campanhas de 2010 e 2014. No melhor cenário, Alckmin tem 8% das intenções de voto, segundo o Datafolha.

Como lembra a publicação, Alckmin e Haddad são alvos de ações por questões administrativas enquanto líderes do estado e da cidade de São Paulo, respectivamente.

O ex-presidente do BNDES Paulo Rabello de Castro (PSC) também é um dos investigados. Ele responde por fraudes em investimentos do fundo de pensão dos Correios.

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSL), que tem 17% das intenções de voto na ausência de Lula, é acusado por injúria, incitação ao estupro e racismo.

A exemplo de Bolsonaro, Ciro Gomes (PDT) também responde por suas declarações. Ao todo, são mais de 70 processos de indenização ou crimes contra a honra movidos por Temer, Bolsonaro, os tucanos José Serra e João Doria, e o presidente do Senado, Eunício Oliveira. Ciro tem 9% das intenções de voto.

O ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa (PSB) foi condenado por danos morais contra um jornalista. Ele chega a 10% das intenções de voto.

O líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto Guilherme Boulos (PSOL) possui processo relacionados ao grupo e também a uma imprudêndia no trânsito.

A Folha pontua que o número de investigações e processo podem ser ainda maiores, pois o levantamento não inclui ações em segredo de Justiça, processos trabalhistas e ações movidas na Justiça de primeira instância de estados que não são os de origem ou de atuação política. Além de alguns tribunais dificultarem o acesso público.

Fonte: Noticias ao minuto

Grave acidente aconteceu num dos bairros mais populosos de São Gabriel do Oeste.

O jovem Francie Ferreira dos Santos, de 27 anos, teve a perna decepada num acidente ocorrido na tarde desta quinta-feira (19), no Jardim Gramado, em São Gabriel do Oeste, região norte de Mato Grosso do Sul.

Ele era piloto de uma Yamaha YZF-R3 e tinha como passageiro Marcos Machado da Silva, de 20 anos, que sofreu apenas escoriações. Os jovens foram socorridos e encaminhados ao Hospital Municipal, sendo que o estado de Francie inspira cuidados.

A colisão entre a moto e um Citroen C3 aconteceu no cruzamento sem sinalização das ruas Curicaca com a Pintassilgo. Com o impacto, a perna esquerda da vítima, do joelho para baixo, foi decepada.

A parte decepada ficou no chão e o jovem foi levado para a calçada, onde foi socorrido. Francie perdeu muito sangue, mas a hemorragia foi contida pelos socorristas. Diversas fotos, tiradas logo após o acidente, circulam pelas redes sociais.

O motorista do carro teria ficado em estado de choque ao descer do carro e ver a situação de uma das vítimas, tomando rumo ignorado.

Foto: WhatsApp/EdiçãoMS

Foto: WhatsApp/EdiçãoMS

Fonte: ValedoIvinhema

Pagina 1 de 700

Salvar

Template Settings

Theme Colors

Blue Red Green Oranges Pink

Layout

Wide Boxed Framed Rounded
Patterns for Layour: Boxed, Framed, Rounded
Top