Redação

Os dados são do levantamento semanal da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP)

O preço médio do litro da gasolina comercializada em postos de combustível de todo o país fechou esta semana a R$ 4,319. Essa foi a quarta alta semanal do produto, que acumula um aumento de preço de 3,5% em um mês, já que, na semana de 17 a 23 de fevereiro, o litro era vendido a R$ 4,172.

Os dados são do levantamento semanal da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). O óleo diesel, comercializado em média a R$ 3,54 por litro, registrou nesta semana sua quinta alta consecutiva e acumulou, no período, aumento de preços de 2,8%.

O litro do etanol, que foi comercializado em média a R$ 2,969, também subiu pela quinta vez consecutiva, acumulando alta de 8,2% no período de cinco semanas. Já o preço do GNV (gás natural veicular) aumentou pela terceira semana, fechando em média a R$ 3,169 o metro cúbico, uma alta de 1% no período.

Fonte: Noticias ao minuto

 

O aumento de adicionais e gratificações foi um dos pontos mais controversos da reforma das Forças Armadas, apresentada na última quarta-feira, dia 20, pelos ministérios da Economia e da Defesa. Entre esses benefícios, está o reajuste dos percentuais do adicional de habilitação, que é um acréscimo aos vencimentos dos militares que investem na especialização. Com as mudanças, o valor pago ao militar que faz curso de aperfeiçoamento e de altos estudos categoria 2, equivalentes ao mestrado, receberiam mais do que servidores federais com a mesma capacitação.

No caso do aperfeiçoamento, o adicional proposto passa de 20% para 45%. Já nos altos estudos categoria 2, de 25% para 68%.

Entre os servidores federais, os percentuais são mais baixos. Um pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas do IBGE (categoria especial 3), por exemplo, recebe 18,6% a mais caso tenha mestrado. Na carreira de professor titular do Ensino Básico Federal, com carga horária de 20 horas semanais, o adicional para essa titulação é de 28,6%. Para pesquisador em Saúde Pública da Fiocruz, quem tem mestrado recebe 42% de acréscimo sobre o vencimento bruto. Já para professor do Magistério Superior com dedicação exclusiva com mestrado, é de 50%.

No caso do doutorado, porém, a situação se inverte: a maior parte dos servidores federais ainda ganha adicionais consideravelmente mais altos em relação aos militares.

Enquanto o percentual de acréscimo salarial para quem concluiu os altos estudos categoria 1 passará de 30% para 73%, um professor do Magistério Superior com dedicação exclusiva que tenha título de doutor receberá 126% a mais. Enquanto seu vencimento básico é de R$ 8.833,96, segundo tabela de remuneração enviada pelo Ministério da Economia, o adicional é de R$ 11.151,28.

No caso do professor do Magistério Superior com carga de 40 horas semanais, o doutorado garante quase 85% sobre a remuneração bruta. Para o pesquisador em Saúde Pública com o mesmo título, o acréscimo é de quase 80%.

A exceção é para as carreiras de pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas do IBGE (categoria especial 3), que continuará recebendo adicionais menores que o dos militares, mesmo tendo doutorado: cerca de 49%. O mesmo ocorre com o professor titular do Ensino Básico Federal, com carga horária de 20 horas semanais, que mesmo tendo doutorado receberia um adicional de 60%.

Ao contrário dos servidores, porém, os adicionais de qualificação dos militares são levados para a inatividade. "Não há aposentadoria militar. Os militares inativos permanecem com o adicional de habilitação, conforme o que já é praticado hoje", informou o Ministério da Defesa.

A reestruturação da carreira das Forças Armadas, com mudanças nas regras desse e outros benefícios, gerou polêmica entre diversos setores da sociedade.

Para Adriane Bramante, presidente do Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário (IBDP), esse não era o momento de colocar em debate questões relativas à carreira:

— A proposta mistura Previdência com reestruturação da carreira, e a ideia não deveria ser essa, porque enquanto a reforma da Previdência dos servidores e trabalhadores da iniciativa privada apenas retira direitos, os militares irão ter benefícios.

Fábio Zambitte, professor de Direito Previdenciário do Ibmec-RJ, pondera que os militares tiveram muitas perdas nos últimos anos, de modo que haveria espaço para uma compensação.

— Hoje, por exemplo, um coronel da ativa ganha de 30% a 40% menos que um coronel da reserva. A reforma de 2001 jogou a remuneração deles pra trás, tirando um componente remuneratório. Isso não tem paralelo no serviço público. As gratificações em algum grau têm um componente de reposição — explicou o professor, ressaltando:

— O momento é péssimo, mas a demanda é razoável.

Fonte: Extra.globo

 

Varios professoras e professores foram às ruas contra a reforma da previdência de Bolsonaro.

Varios professores se reuniram em frente a Escola Municipal Prof. Eduardo Pereira Calado em Novo Horizonte do Sul e de lá saíram em diversas rua da cidade para dar o tom de manifestação contra a reforma da Previdência de Bolsonaro.

As professoras e professores em todo país dão uma aula de como lutar contra a reforma da previdência.

Veja algumas fotos da manifestação das professoras e professores em Novo Horizonte do Sul contra a Reforma da Previdência:

 

Acidente aconteceu na noite desta sexta-feira (21), na Vila Benedito Schaefer

Um carro capotou na noite desta sexta-feira (21), na rua Isaías Inácio de Almeida, esquina com a rua Jamir Enz, Vila Benidito Shaefer, em Batayporã. Segundo a Polícia Militar que atendeu a ocorrência, apenas o condutor estava no veículo.

Conforme apuração no local do acidente, o veículo Fiat/Uno, cor branca, com placas de Batayporã, seguia pela rua Isaías Inácio de Almeida, quando, por motivos desconhecidos, o condutor perdeu controle direcional, colidiu na parede de um estabelecimento comercial no cruzamento com a rua Jamir Enz e capotou em seguida.

O homem ficou ferido, foi socorrido por equipe do Corpo de Bombeiros e encaminhado ao Pronto Socorro do Hospital Regional de Nova Andradina.

Ele aparentava suspeita de embriaguez. A Polícia Militar também antedeu a ocorrência. O veículo ficou bastante avariado.

Fonte: Jornal da Nova

Acidente aconteceu na noite desta sexta-feira (21), na Vila Benedito Schaefer

Um carro capotou na noite desta sexta-feira (21), na rua Isaías Inácio de Almeida, esquina com a rua Jamir Enz, Vila Benidito Shaefer, em Batayporã. Segundo a Polícia Militar que atendeu a ocorrência, apenas o condutor estava no veículo.

Conforme apuração no local do acidente, o veículo Fiat/Uno, cor branca, com placas de Batayporã, seguia pela rua Isaías Inácio de Almeida, quando, por motivos desconhecidos, o condutor perdeu controle direcional, colidiu na parede de um estabelecimento comercial no cruzamento com a rua Jamir Enz e capotou em seguida.

O homem ficou ferido, foi socorrido por equipe do Corpo de Bombeiros e encaminhado ao Pronto Socorro do Hospital Regional de Nova Andradina.

Ele aparentava suspeita de embriaguez. A Polícia Militar também antedeu a ocorrência. O veículo ficou bastante avariado.

Fonte: Jornal da Nova

Pagina 1 de 1299

Salvar

 

Template Settings

Theme Colors

Blue Red Green Oranges Pink

Layout

Wide Boxed Framed Rounded
Patterns for Layour: Boxed, Framed, Rounded
Top